Cliente 6 – “O Sério”

Após um dia de folga e três desistências!! (Pois é, 3! –‘) cheguei ao meu sexto cliente! 🙂 O malandrinho estava quase desistindo também, pois insistia por uma 1:30 quando eu só podia 1:00, mas ao final acabou cedendo! (Ainda bem, né?! Rs) Meu primeiro quarentão! Apesar de não parecer nem de longe ter a idade que me falou. Lhe dava uns 35. Corpo todo no lugar, e umas coxas lindas, achei até que malhasse. Nos encontramos na linha vermelha do metrô e fomos juntos andando até o motel que era ali perto. No começo fiquei receosa, pois apesar de ser dia, as ruas estavam desertas e fiquei com medo de ter alguma emboscada para mim na esquina, mas quando chegamos ao motel, percebi que já o conhecia. Meu namorado havia me levado lá em nosso último aniversário de namoro (pelo qual fomos barrados já que a tonta havia esquecido o RG na outra bolsa –‘) e imediatamente me senti mais tranquila. Não me recordo o número do quarto, pois como entramos juntos, dessa vez não precisei prestar atenção nesse tipo de informação. Lá dentro era muito bonito, e comecei a pensar na experiência que teria tido se tivesse dado certo no dia em que fui com meu namorado, teria adorado, pois o estabelecimento realmente era incrível. Não sei porquê, mas com esse cliente eu estava mais tímida a principio, talvez por achar que homens mais velhos são mais experientes e em consequência disso mais exigentes, e não queria que ele não me achasse boa o suficiente. Ele era sério, contido e muito educado. Quando começamos a nos beijar, pediu que eu tirasse minha calcinha, mas que permanecesse de vestido. Obedeci. Depois ainda enquanto nos beijávamos, me pegou no colo (onde entrelacei minhas pernas em sua cintura) e me levou até a frente da cama, onde tinha um grande espelho. Me virou de costa para a cama e levantou meu vestido na altura da minha cintura, para que pudesse olhar minha bunda pelo reflexo. Ficou um breve tempo assim olhando e a alisando. Depois me colocou em cima da cama e me pediu que desce algumas voltas e andasse pelo curto espaço dela. Achei um pouco engraçado (claro que não ri) e mais engraçado ainda foi a minha total falta de jeito, onde ele pediu que eu andasse mais devagar e mais sensual! Hahaha. Após isso me permitiu tirar o vestido, onde fiquei somente de sutien (um dos mais bonitos que tenho inclusive) e me posicionou em pé na cama de frente para o espelho com ele atrás de mim. Pediu que eu ficasse com as pernas mais abertas e posicionou o corpo do seu pau na minha boceta. veja bem, ele não colocou a cabeça na entrada da boceta, apenas o corpo do pau pela extensão dela, para que pudesse esfregá-lo. Ficou esfregando um bom tempo com aquele vai e vem como se estivéssemos metendo. Me perguntei mentalmente (antes de perguntar diretamente a ele) se ele sabia que não estávamos propriamente penetrando, e claro que ele sabia, era esse o tesão que ele sentia, não parava de repetir como minha boceta era quente e como aquilo era gostoso! 🙂 Ficamos bastante tempo fazendo isso. Ele gostava de sentir minha boceta ao natural, e foi interessante presenciar esse tipo diferente de prazer. Depois ele me deitou na cama e tirou meu sutien. Chupou meus seios e continuou esfregando o corpo do pau na minha boceta. Como ele raspava o pau no meu clitóris, acabei gozando assim. Após eu gozar ele começou a me chupar, mas não cheguei a gozar novamente tão rápido assim rs. Após isso, me pediu que ficasse de quatro e novamente ficou passando seu pau na minha boceta daquela forma, até que chegou o momento em que disse que não aguentava mais e que queria sentir seu pau dentro dela. Insistiu para sentir apenas a cabecinha no quentinho da minha boceta, ou seja, sem camisinha. Disse lhe que não, e ele continuou insistindo, mas mantive minha palavra, afinal enfiar somente a cabeça ou o pau inteiro sem camisinha, daria na mesma, e sexo sem preservativo me recusava a fazer! Ele então, educado como era respeitou minha decisão e me liberou para que eu fosse pegar a camisinha em minha bolsa. Voltei tentando ser o mais sensual possível (já que nessa parte os paus costumam amolecer rs) e enquanto abria o saquinho, me posicionei de quatro para ele novamente, para que não perdesse o foco. Lhe entreguei pronta para desenrolar sobre seu pau e quando me penetrou foi prazeroso ouvir seus gemidos de tesão. Entrou bem devagar até que enfiasse tudo, e uma vez lá dentro, acelerou nas estocadas. Não variamos a posição e em pouco tempo gozou. Enquanto ele deitava extasiado pelo orgasmo, eu tratei de me livrar da camisinha. Quando voltei, fiquei um tempo alisando seus pêlos do peitoral enquanto conversávamos um pouco e depois o chamei para tomar banho comigo, que prontamente aceitou. Nos lavamos e voltamos juntos para o metrô. Ele morava perto, então apenas me deixou na catraca.

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.