O Perspicaz | Parte 3: Pós-encontro

-Bom dia ******, chegou bem em casa?

-Bom dia ****, fui sequestrada! 😩

-😳 Caramba! O que houve? Fala comigo! Tô preocupado!

-Estou brincando!! Hahahaha.
-😒

Para mim, mais importante do que o pré e o durante, é o pós! Tão importante quanto todo o resto, pois, é nesse momento que você descobre quais são, de fato, as reais intenções do sujeito. O nosso “pós-encontro” começou bem, mas, foi enfraquecendo, o que me deixou mega frustrada. Quando me dei conta, as nossas conversas estavam ficando cada vez mais mornas. O que eu esperava também? Trocas de mensagens a cada vinte minutos? Nem antes de sairmos não foi assim e o rapaz tem um trabalho convencional, não é todo mundo que tem essa disponibilidade que eu tenho para responder mensagens…

Ignorem o erro de português, estava nervosa! Rs

Não é que eu esteja atrás de um namorado, ou marido, ou pai dos meus filhos (ou talvez esteja inconscientemente), mas, me causa um certo desapontamento quando vejo que alguém aparentemente promissor nada mais foi que um encontro vazio e supérfluo. Sei que há quem diga que no Tinder só se encontra isso, porém, discordo. As exceções existem em todos os âmbitos e situações, só não me deparei com elas ainda.

Nem mesmo nas duas vezes que tive autocontrole e fiz a difícil, não transando no primeiro encontro, nem assim os caras permaneceram interessados. O que funciona para um, não necessariamente funciona para outros, não é mesmo? Então confesso, fiquei sim um pouco chateada, pois, pareceu que ele também tinha curtido e se tinha sido legal e gostoso para ambos, por que não continuar e repetir?

Entrei em conflito por um tempo, mas, depois cheguei a conclusão que estava dando importância demais para alguém que acabara de conhecer. Por acaso eu estava perto do meu período menstrual para estar tão emotiva e sentimental? Precisava ser mais prática. Então, dois dias depois do nosso encontro joguei a isca para descobrir se ele ainda estava interessado. Não que ele não fosse legal comigo no WhatsApp, mas, ele demorava horas para me responder e sua simpatia, a distância, não me permitia saber se era sincera ou apenas uma mera formalidade.

-Oie, tudo bem? Vai me assistir tal dia mesmo? (Convite formalizado)

Ele respondeu seis horas depois.

-Boa tarde gata! Gata?? – Como você tá? Olha só que convite maneiro esse! Que horas é a peça?

-X hora.

-Então, eu quero muito ir. Mas, tenho que ir no bloquinho – é obrigado?? – com meu amigo que vai passar o carnaval aqui. Então se eu ficar muito louco e não ir vai ficar feio né? – À essa altura nem preciso dizer que achei a resposta dele péssima, né?! 🙄

-Muito feio, digno de separação! – Fiz a brincalhona, ainda que estivesse bem séria olhando para a tela.

-Hahahahaha.

E acabou aí. The end, game over, ele não disse absolutamente mais nada sobre o assunto. Fiquei decepcionadíssima! Desde a primeira conversa se mostrou tão interessado em me assistir e quando finalmente tinha a chance, me trocava por bloquinhos??! Faça-me o favor! Francamente! Onde já se viu?! 😡

Naquela noite, antes de dormir, refleti demais sobre tudo aquilo. Refleti tanto, ao ponto de cair em mim, que eu estava exagerando. Só tínhamos saído uma única vez e era completamente normal que eu não fosse prioridade na sua vida. Eu mesma, não deixei de sair com uma amiga por causa dele, lá atrás, quando cancelei com ele repentinamente, antes mesmo de conhecê-lo. E daí que ele preferia ir para bloquinhos? Eu era o amor da vida dele por acaso? Não, né! E nem ele era o meu, então pra quê tanto drama?

Também estudei todo o nosso histórico de conversa desde o começo e cheguei a conclusão que quase sempre ele demorava para me responder do mesmo jeito e nunca fomos de conversar tanto no WhatsApp. Claro que, eu esperava que após nos conhecermos isso mudasse, mas não aconteceu, paciência.

Daí, como ariana teimosa e persistente que sou, dei a última cartada. Sim, eu sei que já disse lá em cima que tinha jogado a isca, mas, agora sim seria minha última tentativa. Revisitando nossas conversas, me deparei com uma brincadeira que ele fez comigo quando cancelei com ele da primeira vez (vide nesse post) e resolvi usar seus próprios truques contra si mesmo:

Não sei não, eu to muito confusa com tudo isso que tá acontecendo. Homens são todos iguais. Prometem mundos e fundos antes da primeira transa e depois que rola partem em busca de novos contatinhos em bloquinhos. Te negam um terceiro round com a desculpa de se guardar para o próximo encontro e esse fica só na promessa. Homens, quem precisa deles??

Vocês homens sempre dizem isso, mas sei que não é verdade… Eu me dediquei, me anulei por vc, pus nosso relacionamento acima de tudo, mas nunca houve reciprocidade.. agora eu entendo que pra vc eu sempre fui apenas um contatinho…

Se lembram disso? Mudei algumas palavras, encaixando no meu contexto, mas, em suma a base textual veio toda dele, o que me permitia brincar sem medo de parecer uma louca obsessiva kkkk.

Agora eu lhe pergunto: será que teve um efeito positivo? Se coloque no lugar dele e me diga nos comentários qual seria a sua resposta, se esta mensagem tivesse sido direcionada a você!

Quanto a resposta dele…  bem… farei um suspense até a próxima postagem. 😏

CONTINUA…

9 comentários em “O Perspicaz | Parte 3: Pós-encontro

  1. Acho que pegou mal o seu comentário para ele. Na vez dele realmente n tinha nada entre vcs, então a piada tinha graça. Agora que já teve a primeira transa já fica como uma ponta de verdade. Acho que ele deve ter corrido. Acertei? Ps: tenta com os feios. 😛

  2. Comecei a ler este relato e fui me entregando cada vez mais ao “olhar feminino”, pois o análise do passo a passo foi detalhado, cada reação anotado, interpretações alternatives avaliadas, até a inversão de papéis retóricas foi explorada. Território novo desbravado? Neste mundo pós “Sex and the City”, é difícil acrescentar perguntas novas ou descobrir horizontes desconhecidos no mundo de “casual sex versus love quest”. Tudo bem, mas também vale lembrar que todas as músicas compostas são nada mais do que sequëncias de tonalidades repetidas em padrões diferentes. Enfim, o que é que queremos de um encontro? Sexo? Amor? Conexão?

    Como leitor, eu.me diverti e agradeço a autora pelo tempo investido em detalhar em termos francos e sinceros o raciocíno dela. Aguardo o próximo capítulo!

    E

  3. Acho que pela sintaxe da série, deve haver um segundo encontro, mas só pela sintaxe eu acho isso.
    Uma coisa que me deixou curioso… sou ariano também, mas nunca paro para fazer uma análise tão detalhada assim como vc fez! Será que isso é por vc ser mulher? Será por medo de não ter agradado? A que vc atribui esse detalhamento?

    1. Acho que um pouco dos dois. Mulheres costumam ser mais detalhistas que os homens. Mas, também tenho essa constante preocupação em agradar (até mesmo pelo que faço). Então diria que são as duas coisas. 🤔

      1. Vamos ver se vc é detalhista, posso?
        O que vc olha quando vai comprar um vinho tinto? E um branco?
        Qual a primeira coisa que nota quando chega perto de um homem?
        Quando entra pela primeira vez num restaurante, o que te chama mais a atenção?
        Se responder a essas 3 perguntas eu te faço uma análise, tá bom? E atribuo uma nota… e vc vai saber qual seu grau de detalhismo.

  4. Mais um texto excelente. Um retrato dos pós encontros dessa vida. Quantas dúvidas, quantas minhocas na cabeça, quantos “e se” correndo pelo pensamento enquanto se aguarda aquela resposta da mensagem, especialmente se os dois “v” ficam azuis.

  5. Sara, se essa resposta fosse direcionada para mim e conhecendo a minha personalidade eu não iria deixa barato! Hahaha . Vc colocou ele contra a parede e foi bem clara q vc queria uma continuidade da relação.
    Pronto! Vc acabou se colocando em uma posição de submissão na relação, mesmo que de forma bem sutil. Aí a resposta iria depender das intenções dele. Se ele realmente não quer nada com nada eis a oportunidade de concordar com vc e dizer q é apenas um contatinho mesmo! Se ele tiver intenção de continuar a relação eis o trunfo dele! Usar da sua resposta e dizer: “homens,quem precisa Deles?” VOCÊ! Jamais alguém colocaria a relação acima de tudo se não esperasse reciprocidade. Não seja imatura, não minta para si mesma! Vc quer SIM a minha companhia e não há nada de mal nisso! Eu Tb quero a sua! E não é por isso que vou anular de imediato a minha vida pessoal. Vamos com calma, nos descobrindo aos poucos! Sem cobranças e expectativas. Apenas deixe fluir de forma natural. Hoje as 20h na minha casa ok? 😈.

    Hahahah to me sentindo parte da história já! Mas como vc pediu uma resposta seria mais ou menos isso q eu falaria!!

  6. Tá muito boa essa história, mas, se fosse eu, ia no bloquinho e me controlava um pouco pra não “ficar muito louco”, depois ia no meu COMPROMISSO com você.
    Tudo bem que todos torcemos para que a história continue, mas eu no seu lugar mandava esse cara andar (ou pular carnaval)… Eu valorizaria muito mais uma pessoa inteligente, carinhosa e… com tantos predicados como você (haja adjetivos pra te descrever). Rsrs

    Pena que não sou eu, kkkkk.

  7. Particularmente está bacana essa série rsrsrsrs, e a escrita bem fluida.

    Sobre a questão suscitada, na primeira mensagem já responderia kkkkkkk quando tenho interesse não escondo, do mesmo quando não tenho falo logo.

    Detesto com toda minha força esse tipo de joguinho, ou vulgarmente conhecido como “jogo da sedução”, prefiro algo direto e transparente, se gosta procura no dia seguinte, se não, apenas fala que não rola mais.

    Levei muito ferro por causa disso, até que encontrei alguém que é do mesmo jeito.

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.