Bizarro

Cliente 188 – “O Bizarro”

Pelas mensagens já o achei estranho, seja pela sua foto do perfil do whats ou pelas muitas outras que me enviou sem necessidade. Suíte oriental Nara. Assim que abriu a porta, fez uma pose estranha, digna de final de apresentação, quando o artista posa para as fotos rs. Ficou lá parado com a cabeça pendendo para o lado, me olhando. Quase perguntei: “E aí vai me de deixar entrar?”, mas optei por: “Você está bem?”. Respondeu que sim. 🤔

Começou a me elogiar e me envolveu num beijo esquisito com um gosto peculiar que não consegui identificar. Logo fomos para a cama e em poucos segundos tirou minha calcinha. Daí começou a me chupar e reconheço que até chupava gostoso. Depois também o chupei por um tempo e então voltamos aos beijos, enquanto um masturbava o outro.

Surpreendemente fiquei bastante excitada com isso (ele batia uma ciririca como ninguém rs), não resisti e gozei após um tempo. Depois voltamos aos beijos e o chupei outra vez, até ele pedir pela camisinha. Daí encapei e fui por cima. Após um tempo cavalgando, trocamos e então ele veio no papai e mamãe.

Fiquei bastante encanada enquanto ele metia, pois diversas vezes sentia como se a camisinha estivesse escorregando do seu pau. Pelo menos umas quatro vezes interrompi suas estocadas para checar, e percebi que isso lhe aborreceu, até que determinada hora ele disse para pararmos com a transa de vez. Nem insisti que continuasse, antes interromper do que correr o risco da camisinha ficar dentro de mim. Fizemos uma pausa, ele pediu água para nós e conversamos um pouco.

Essa foi a primeira vez que atendi um cliente que falava tanta giría a cada duas palavras, e confesso que algumas vezes não entendia o que ele estava querendo dizer exatamente. Fosse pela gíria ou pela forma como se expressava. Ele era estranho. Depois retomamos os beijos e o chupei por muuuito tempo. O encontro foi de 3h e à essa altura nos restava trinta minutos. Lhe chupei toda empenhada para que gozasse, mas estava difícil de acontecer.

Daí voltamos a fazer aquilo do começo (um masturbar o outro) e ainda assim nada dele gozar. Eu já não estava mais curtindo como no começo, pois à essa altura ele estava muito descoordenado. Por exemplo, quando fazia beijo de esquimó (um movimento que precisa ser suave) forçava tanto seu nariz contra o meu, que até tampava a minha respiração! E também quando deitava seu rosto por cima do meu, jogava tanto peso sobre ele, que eu sentia o incômodo do seu osso. Algumas vezes tive que lhe pedir para levantar a cabeça.

Daí em certo momento, repentinamente ele quis parar com a masturbação mútua (talvez percebendo que eu também não gozaria de novo). Tentei fazer com que continuássemos, pois queria que assim como eu, ele tivesse pelo menos uma gozada, mas respondeu que isso era o menos importante. Então falei de pedirmos a comida, ele concordou e nisso já fui tomando o meu banho e me vestindo. Ele fez o mesmo depois de mim.

Ele cambaleava e esbarrava nas coisas pelo quarto, como se estivesse bêbado, mas sem ter bebido. E não pude deixar de reparar na sua leseira com as toalhas de banho rs. Eu havia deixado uma de fácil acesso para ele sobre o box (lembro dele ter visto eu colocando) e quando saiu do chuveiro, veio todo perdido para o quarto, procurando pela toalha, quase pegando a mesma que eu tinha acabado de usar rs. Te relembrei da sequinha que havia deixado diante dos seus olhos, e daí voltou ao banheiro atônito.

Depois comemos e novamente houve outro comportamento estranho da sua parte enquanto eu comia. Ele terminou de comer e ficou me secando. Comentei que estava me deixando sem graça e daí ele foi para outra parte do quarto. Quando fui comer a sobremesa, me virei para ele (que estava sentado na cama atrás de mim), pois achei que seria grosseiro ficar de costas para uma pessoa que eu estava conversando. Contudo, não esperava que novamente ele ficasse me secando daquele jeito! Me olhava compenetrado sem piscar com a maior cara de louco, e ainda se aproximou mais, apoiando suas mãos nos meus joelhos. Tudo isso sem dizer uma palavra! Aquilo me deixou bastante incomodada, e então eu que me levantei, e fui terminar de comer olhando para fora da janela. Quando terminei fui escovar os dentes e comentei que ele podia ir na frente (o tempo do programa já tinha sido o suficiente na sua companhia).

E por fim, quando veio me dar tchau – eu estava sentada na cama guardando minha escova de dente, maquiagem e etc – não calculou bem a distância entre nossos corpos e bateu com tudo seu rosto no meu! 😒 Ficou pedindo desculpas e ainda queria dar beijo de despedida, mas me esquivei e falei que já havia escovado os dentes. Percebi que ele ficou um pouco sem graça (ainda mais por ter esbarrado com tudo em mim por um beijo que não saiu), mas realmente não ia beijar para ter de escovar os dentes de novo, além do que o tempo já havia acabado enquanto comíamos. Dei um tempo no quarto após sua saída e só quando tive a certeza que ele não deveria mais estar pelo hotel que então fui embora também.