Modelo

Cliente 116 – “O Modelo”

Primeiramente gostaria de dizer que lhe atribui esse apelido não por ser de fato um modelo, mas sim pela sua aparência física, super alto, magro, além de parecer um gringo com aqueles cabelos loiros e a pele um pouco rosada de tão branco rs.

Quarto 153. O achei sério e bastante calado. Conversamos brevemente para quebrar o gelo, até que o beijei. Seu beijo era bastante rápido, me esforcei em acompanhar. Ele me deixou a vontade para conduzir o programa do jeito que eu queria, o que as vezes me deixava na dúvida se ele estava gostando ou o que gostaria que eu fizesse.

O chamei para a cama e já me despi. Ele não fazia muita coisa e quando parávamos de nos beijar, me olhava com um olhar compenetrado, “será que ele está gostando?”, eu pensava um pouco confusa. Conforme os beijos foram fluindo – eu estava deitada por cima -, ele começou a se manifestar e a passar suas mãos pelo meu corpo.

Desci para seu pau rosinha, que já estava um pouco duro. O chupei por um tempo e depois voltei a beijá-lo, ao mesmo tempo em que o masturbava. Ele fez o mesmo comigo, me deixando cada vez mais excitada e doida de vontade de transar. Teve uma hora que pedi para me pegar logo, mas falei tão baixo que não sei se ele não ouviu ou se simplesmente ainda não queria.

De repente, me virou na cama e após chupar meus seios bem gostoso, desceu para minha xana. Ele tinha bigode e cavanhaque, mas nenhum desses dois irritou minha menina, seus pelos eram macios e parecia que massageavam junto com sua língua, estava me levando à loucura!

Quando voltamos a nos beijar e levei minhas mãos ao seu pau, já não estava mais tão duro, para minha infelicidade que já queria senti-lo pulsando dentro de mim. Me empenhei na punheta mas não estava adiantando, resolvi então chupá-lo outra vez, mas estranhamente seu pau só amolecia ainda mais. Comecei a ficar sem cartas na manga, até que deu um estalo nele e disse que estava com frio. Fiquei impressionada pois eu que sou super frienta não estava com aquele frio todo rs, então ofereci de pegar o edredom que tinha no quarto, e ele aceitou.

Voltamos aos beijos, comigo ainda tentando reanimá-lo na mão. Determinado momento ele começou a me masturbar também, e percebi que conforme seus dedos roçavam na minha xana, seu pau foi endurecendo gradativamente. Fiquei empolgada com o progresso e achei que fôssemos transar enfim, mas não, do nada seu pau começou a amolecer de novo (logo quando eu achei que fosse engrenar rs).

Ignorei o ocorrido e continuei me empenhando com a mão, daí me aproximei ainda mais (estávamos deitados um de frente pro outro) e enquanto o masturbava, a cabeça do seu pau ficou roçando na minha barriga, percebi que isso ajudou, e logo mais seu pau endureceu de novo. Novamente achei que fôssemos então transar, no entanto não me atrevi em dizer nada, deixaria que ele tomasse a iniciativa.

De repente ele assumiu o controle, pegou no seu pau e continuou batendo punheta cada vez mais rápido, pelo jeito ia querer gozar daquele jeito mesmo, sendo assim, comecei a me masturbar também, e foi incrível a sintonia, quando comecei a dar uns suspiros de que estava prestes a gozar, ele também começou a soltar uns grunhidos e sem mentira nenhuma, gozamos ao mesmo tempo! Ele gozou bastante, melecando minha barriga e braço. 😌

Ficamos deitados por pouco tempo, até que ele sugeriu a ducha. Se banhou primeiro, depois eu, e nesse meio tempo ficamos conversando. Perto do final (havíamos fechado 1:30) quando eu voltava do banheiro, me surpreendi com ele todo vestido,  “uau!” exclamei, ele era mesmo um tipão! Ficou ainda mais sexy com aquela roupa social. Fomos embora juntos até o metrô. 😊