Publicado em Programas

Por Que Garota de Programa?

Olá! 😊

Hoje resolvi falar sobre algo que um seguidor do Twitter sugeriu, e que também muitos clientes me perguntam…

A decisão de começar a fazer programa, partiu da vontade de querer sair de casa, ser independente e ter o meu próprio apartamento. Mas é claro que não tomaria essa decisão, se não fosse algo que também me agradasse muito em fazer.

Muitas mulheres (e talvez alguns homens) devem ver essa profissão como algo sujo e nojento, mas eu não vejo assim. Não é porque os homens estão pagando que será ruim transar com eles, pelo contrário, muitos se empenham tanto quanto a GP, para que a experiência seja ainda melhor e o dinheiro deles bem gasto.

Se enganam também, aqueles que pensam que não há homens bonitos e gostosos, já que esses devem ter de graça a todo momento; Eles nos procuram justamente por não ter o trabalho de xavecar, e nem correr o risco da mulher ficar no pé deles depois; Sem contar os clientes casados (são 80%), que só querem experimentar uma coisa diferente, sem perderem o que já possuem dentro de casa. Esses são ainda melhores, pois são experientes, educados e se cuidam.

Apesar de ter perdido a minha virgindade tarde, aos 20 (pode acreditar), sempre me interessei por sexo, coisa que só foi possível eu descobrir após um ano de namoro com o meu primeiro namorado.

Então, por tudo isso que expliquei acima,decidi unir o útil ao agradável. Afinal, quem não gostaria de ter transas incríveis todos os dias, e ainda ganhar dinheiro com isso?? 😛

POR QUE SARA MULLER?

Taí outra coisa que me perguntam muito, e irei aproveitar o gancho para responder.

Há dois filmes que amo e que marcaram a minha infância. Em ambos, as protagonistas se chamam “Sara” (talvez por essa razão que eu tenha me apegado tanto a esse nome rs). Para aqueles que ficaram curiosos, os filmes são: “A Princesinha” (1995) – que até hoje choro quando assisto -; E: “Jovens Bruxas” (1996).

O “Müller” já possui um significado mais complexo. Sou filha adotiva, e sei que minha mãe biológica (apesar de não conhecê-la) possui “Müller” em seu sobrenome. Então foi o primeiro que me veio a cabeça.

PRÓS E CONTRAS

😌😖 Dinheiro – A questão financeira é válida para os dois. Pró: porque ganho mais do que em muito trabalho convencional, ainda que trabalhando menos horas; Contra: pois não tenho estabilidade financeira, então tenho sempre que ter uma reserva, para o caso de eu ficar doente ou não ter tanta procura.

😌 Autonomia com os horários – Não preciso mais acordar todo dia às oito da manhã, muito menos possuo a obrigatoriedade de trabalhar aos finais de semana; Assim como em dias de extremo frio, posso me dar ao luxo de não sair de casa, se eu não quiser;

😌 Rotina 0 – Apesar de o cronograma dos programas serem (na maioria das vezes) sempre o mesmo (beijar, chupar, transar), sempre é uma sensação diferente, lugares diferentes e principalmente: pessoas diferentes!

😍 Mimos – Tá aí uma coisa que eu não esperava ter nesse ramo: presentes! Uma boa parte dos clientes são generosos e gostam de mimar, mesmo eu não sendo nada deles, ou que seja a primeira vez que estão me vendo. Quantos chocolates e lugares só descobri após entrar nesse mundo?!

😌 Auto Estima – Uma GP que se preze, se cuida mais e sempre está arrumada e cheirosa. Consequentemente os elogios masculinos virão, deixando qualquer uma com a auto estima lá em cima. Eu mesma, antes de fazer programa, por mais que o meu namorado elogiasse, era bastante insegura com o meu corpo, por me achar magra demais. Contudo, depois que descobri ser o tipo físico que muitos homens gostam, passei a me aceitar ainda mais como sou.

Agora vamos a parte ruim…

😖 Exposição a Doenças – Por mais que eu tome muito cuidado, sempre vistoriando discretamente o pau do cara antes de chupar, transando só com camisinha e não finalizando no oral, ainda assim corro riscos.

😳 Mentir para as pessoas – Como todos sabem, transar com estranhos por dinheiro não é uma coisa bem vista pela sociedade – o que é injusto, já que muita mulher faz o mesmo em balada, só que por ser “de graça”, é aceito – então sempre que me perguntam: “o que faço da vida?”, me sinto desconfortável por ter que mentir, como se eu fizesse algo ilegal. E não, não estou matando, não estou roubando, apenas ganhando o meu dinheiro da forma que me faz feliz.

😩 Lidar com pessoas desagradáveis – Eu me considero muito sortuda, por 90% dos clientes que saio, me tratarem bem, serem educados, limpos, e melhor ainda: me pagarem direitinho. Mas é claro que nem todos são assim, então muitos já descarto durante as mensagens.

Não me arrependo da decisão que fiz e torço para nunca me arrepender.

E é isso… Espero ter respondido tudo. 😊 Aliás, adorei a sugestão! Se mais alguém quiser sugerir algo, fiquem a vontade, que vou adorar responder! 😋

Beijão! 💋