Cliente 351 – “O Sisudo”

Mais um gringo. O encontrei no hotel Transamérica. Assim que cheguei, ele já me aguardava na portaria e fomos direto para o elevador. Enquanto subíamos, tivemos uma conversa preliminar sobre os bloquinhos do Carnaval e o motivo dele ter vindo para o Brasil.

Já no quarto, nos beijamos, logo que fechou a porta atrás de nós. Dos meus lábios desceu para o meu pescoço, delicadamente despiu a minha blusa (eu já estava sem sutiã hehe), chupou os meus seios e foi descendo para a minha menina (primeira vez que vejo um gringo mandando ver no oral). Despiu a minha parte de baixo e caiu de boca, comigo ainda de pé. Me surpreendeu.

Depois voltou a me beijar na boca, enquanto eu massageava o seu pau por cima da cueca (a essa altura já tinha despido a sua roupa também). Daí fomos para a cama, me deitei por cima dele, continuei lhe beijando e então fui descendo com meus beijos pelo seu peitoral, até chegar no dito cujo, que era grandinho. Dá-lhe França! Comecei pelas bolas e fui subindo, até o abocanhar por completo. De repente, ele sugeriu 69 e lá fomos nós. Ousadamente, tentou introduzir o dedo no meu Rosinha, enquanto me chupava, que permiti até certo tempo, mas conforme foi ficando mais fundo, pedi que parasse. 

Depois voltei a beijá-lo e já encapamos (usamos a camisinha estrangeira dele, que parecia uma borracha e definitivamente era a maior camisinha que eu já vi na vida). Lubrifiquei bem, que o rapaz era pauzudo, e começamos comigo por cima. Após um tempo conduzindo, invertemos e ele veio no papai e mamãe.

A partir daqui, percebi que sempre que ele conduzia a transa, sua feição mudava. Ele fazia uma cara de mal, de bravo, seus lábios formavam um bico levemente assustador (por isso, O Sisudo). Comecei a me masturbar para me distrair da sua cara assustadora e em alguns minutos gozei.

Ainda trocamos para de ladinho, depois voltei a ir por cima, até que seu pau foi perdendo a ereção. Interrompemos a transa, ele tirou a camisinha e continuou na mão. Perguntou se podia gozar na minha boca (ah vá) e mediante a minha recusa, gozou nos meus seios. 

Pausa para higienização. Quando retornei para a cama, ele estava com seu notebook no colo e começou a me mostrar as músicas brasileiras que conhecia (uns forrós bregas bem podres), aproveitando o gancho do nosso papo pós-sexo, sobre música. Daí ele me mostrou alguns vídeos de músicas francesas também e aproveitei para falar de um trio francês que eu conheço e sou fã (L.E.J.). Também lhe mostrei o vídeo de uma música dos Mamonas Assassinas (encontrei a versão inglês de “Vira-Vira”), já que as músicas brasileiras que ele conhecia eram péssimas e precisava tirar essa má impressão. Ele riu da letra rs.

Com isso íamos para quase 2 horas de encontro. Quando restava 15 minutos, ele começou a me beijar de novo e considerando que o primeiro round tinha sido mais longo (até ele gozar levou 1h), tentei oferecer uma massagem tântrica, mas ele não quis e rapidamente já foi pegando a camisinha, ao que eu também pegava o lubrificante.

Encapou e me penetrou de ladinho, até que trocou para frango assado, novamente me presenteando, involuntariamente, com a sua feição de mal encarado rs. Estocou por um tempo assim, depois tirou a camisinha e finalizou na mão, gozando na minha barriga. Eu, que já estava me masturbando, continuei até gozar também, alguns segundos depois dele. Me banhei e parti. Encontro de 2h.

Um comentário em “Cliente 351 – “O Sisudo”

Deixe um comentário

You have to agree to the comment policy.