Cliente 57 – “O Virgem”

Desde o início ele disse que eu seria sua primeira experiência com garota de programa. O coloquei para depois do Carioca (no mesmo dia) e desde o momento que soube que ia me atrasar no primeiro atendimento, lhe mandei mensagens dizendo que me atrasaria também (mesmo que faltasse mais de uma hora para o nosso encontro) e para minha sorte, ele foi super compreensível e disse que não haveria problema, e inocentemente até me perguntou se eu iria compensá-lo, o que claro não seria nada mais justo né? Sempre que sou eu que me atraso, fico até o tempo completar exatamente o que foi fechado. O engraçado é que como o cliente anterior (carioca) tinha me deixado toda sensível de tanto meter, minha vontade era desmarcar com o próximo, estava precisando descansar a xaninha, mas não o fiz, afinal seria pisar na bola demais! Além chegar atrasada, o pior seria não chegar e desmarcar, então encarei minhas responsabilidades e fui para seu quarto torcendo para que não fosse outro “metelão” também.

Quarto 222. Japonês, 26 anos e bonito. Assim que acomodei minhas coisas, ele sem rodeios me pediu que fosse bastante paciente e boazinha com ele, pois era virgem! Falou assim, na lata!   😮 😮 Virgem?? Aos 26?? Obviamente eu não acreditei, pensei que estivesse brincando comigo para ver minha reação, afinal ele não era feio e quem hoje em dia ainda é virgem aos 26??! Ainda mais se tratando de homem?? O respondi que seria paciente sim (era o mínimo que podia fazer, já que ele também foi com meu atraso) e começamos a nos beijar. O beijo não era seu forte, e lhe perguntei se já havia beijado antes ao menos, ele respondeu que somente três vezes!! Aos poucos fui tirando sua roupa e comecei a chupá-lo. Ele não demonstrava nada, e depois até me confessou que era ESTRANHO  a sensação de ser chupado! Se muitos clientes já não tivessem elogiado meu oral antes, até acharia que eu não estivesse chupando direito, pois estranho foi ouvi-lo dizer isso rs, não conheço um homem que não goste de ser chupado. Depois que o chupei, ele quis fazer o mesmo em mim e chupou meus seios e depois xana. Para alguém inexperiente até que ele fazia tudo direitinho e chupou até que eu gozasse (mas quando terminou disse que a língua já estava doendo rsrs). Quando fomos transar, dei graças a Deus por eu ser a mulher e não o inverso, pois tirar a virgindade de uma mulher deve ser bem mais trabalhoso e difícil. Coloquei a camisinha e deduzindo que ele não soubesse nem mesmo meter, fui por cima. Ele não gostou da experiência e seu pau começou a amolecer. E ficava repetindo diversas vezes que não sabia porque aquilo estava acontecendo. Quando lhe perguntei se não estava bom, ele respondeu que não, que da mesma forma como ser chupado, a sensação era estranha. Confesso a você que naquele momento interiormente comecei a cogitar se sua opção sexual não seria outra rs.

Descobrimos que ele sentia mais tesão comigo o beijando, e esfregando meu corpo deitada em cima dele, do que o chupando! E assim que seu pau endureceu de novo, pedi que ele viesse por cima dessa vez, pois quem sabem com ele no comando, as coisas não seriam diferentes? Essa sugestão deu certo, e ele disse que estava “um pouco” melhor. Ele disse que sentia mais tesão tirando e colocando, devido a pressão que fazia na cabeça seu pau, do que ficar somente no vai e vem com ele dentro da xana. Entretanto como minha xana, como todos sabem já estava um pouco assada do atendimento anterior, colocar e tirar para mim não era nada agradável, então por não permitir que ele continuasse daquele jeito como queria, seu pau acabou amolecendo de novo. Tínhamos fechado 1:30 e à essa altura só tínhamos uns vinte minutos, voltei a chupá-lo, mas seu pau não queria mais subir rs. Ele tentou se masturbar mas comigo ali o olhando, se sentiu mais pressionado ainda e aí que não subiu mesmo rs.

Após um tempo de tentativas frustadas fui tomar banho, enquanto ele tentava reanimá-lo sentado na cadeira, assistindo ao pornô que passava na TV. Mesmo assim não adiantou e ele disse que talvez fosse por que ele não me conhecia, e ficava sem graça de fazer com uma desconhecida, que era uma situação forçada. O legal dele era que todo seu final de frase tinha uma risada, ele estava sem jeito, mas tentava descontrair rindo da situação. Quando terminei de me banhar e fui me preparando para ir embora, além do meu cachê, me deu um livro (contando a história do John Lennon) e um lanche (cachorro-quente) que havia comprado para nós dois. Nessa hora me diverti internamente, pois desde quando tinha entrado no quarto senti um cheiro estranho, que a princípio achei que fosse dele, mas durante o atendimento percebi que não vinha exatamente dele, então achei que fosse de suas coisas sei lá, e só no final soube que era do queijo sobre o pão do lanche! Hahahaha.

Fui embora e ele permaneceu no quarto. Disse que sairia comigo de novo, pois na segunda vez já iria me conhecer mais, então ao que tudo indicava a experiência seria melhor. Quando estava chegando na  faculdade ele me enviou uma mensagem dizendo que tinha conseguido! Pena que eu já não estava mais lá rs.

2 comentários em “Cliente 57 – “O Virgem”

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.