Viagem com o Personal Gineco – 2° Dia!

Ao contrário do que vocês devem estar imaginando, meu primeiro dia no Chile foi bastante atribulado. Quem me acompanha no insta provavelmente viu meus stories queixosos nesse dia rs. Pois eu fiquei sem internet no celular, sendo que havia solicitado o desbloqueio para uso no exterior junto a operadora antes de viajar.

O Personal já tinha saído para trabalhar quando eu acordei (foi uma viagem a trabalho) e eu só conseguia acessar a internet pelo Wi-Fi do hotel. Então como eu poderia me aventurar pela cidade sem nenhum tipo de contato com ele (nem com ninguém) enquanto eu estivesse na rua?? E se eu me perdesse?? 🤐

Bom, mas vamos por partes, estou me antecipando demais rs. Olha essa vista que incrível da janela do hotel: 🤗

Perguntei no storie se alguém sabia onde eu estava e adorei a participação de vocês!! ❤ Alguns acertaram:



Desci para tomar o café da manhã próximo das 10h e infelizmente não encontrei muita coisa gostosa para comer. Me contentei com ovos mexidos e um iogurte. Quando terminei meu breakfast, voltei para o quarto decidida a resolver o problema com o sinal de rede. Tentei ligar para o atendimento da operadora no exterior, mas não consegui falar com nenhum atendente.

Gravei stories desabafando e alguns seguidores sugeriram que eu fosse até um shopping da região comprar um chip local, do que ficar me matando tentando usar o meu. Como não pensei nisso antes?! 🤦🏼‍♀️ O que seria de mim sem vocês?? ❤

Então desci até a recepção do hotel e procurei me informar sobre a localização do shopping mais próximo. Também fui informada que os taxistas só aceitavam pagamento em cash (eu tinha apenas dois mil pesos no bolso). E não tendo como pegar um táxi, nem sacar dinheiro, optei por ir andando, já que o shopping ficava há 20 minutos a pé.

Quando finalmente cheguei no shopping Costanera Center (o que deu certo trabalho, acho que ainda mais que 20 minutos rs), entrei determinada a encontrar a loja das operadoras de celular e resolver o meu problema de uma vez.

Porém, ao olhar para a direita, acabei avistando a loja Morph e não resisti ir até lá dar uma olhada!! 🤩 (Conheci essa loja na viagem com o Organizado, quando fizemos compras na Rua Florida, dentro do shopping Galerias Pacífico.)

É uma loja incrível! Mistura de Imaginarium com Daiso. Comecei vendo umas canecas de gatinho na entrada, depois fui adentrando e encontrei uns tapetes fofos (de gatinho e coração) e assim fui explorando a loja inteira.

Gastei 99.520 pesos e deu até um medinho na hora de pagar pois não me lembrava dos cálculos da conversão (ou seja, comprei sem saber quanto estava pagando 😅), sem contar que aquela era a minha primeira compra no Chile, vai que o banco tivesse dado algum xabu e não liberou meu cartão para compras no exterior? Seria um mico enorme pegar aquele tanto de coisa e não conseguir pagar rs. 😅

De primeira a compra não foi, mas porque a atendente colocou a função errada, aliás em toda loja que eu ia era sempre a mesma coisa. Eu falava “débito” e eles iam no “crédito”, ignorando o meu aviso toda vez. 🙄

Aliás, uma curiosidade das compras no Chile (não sei se em outros lugares também é assim, pelo menos em Montevideo, Argentina e Uruguai não ocorreram dessa forma), as maquininhas sempre pediam para você conferir o “monto” (montante) para só depois colocar a “crave” (senha) rs. 

Saindo de lá foi que começou o grande dilema. Se eu soubesse que passaria tanto enrosco dali para frente, teria deixado para comprar naquela loja por último, me poupando de ficar andando tanto naquele shopping carregando duas sacolas na mão.

Tentei descobrir por mim mesma a localização da loja da operadora (tenho um pouco dos homens nesse sentido rs, não gosto de ficar pedindo informação, pois acho muito mais gratificante descobrir as coisas por mim mesma), porém, conforme demorava para encontrar, passei a ficar incomodada com tanta volta que eu dava. No final das contas acabei pedindo informação para uma moça que trabalhava num quiosque no meio do corredor. “Dos nives abajo” – ela falou. Sei que não devo ter escrito certo, mas é só para ilustrar a pronúncia mesmo rs.

Desci duas escadas rolantes e cheguei ao andar de videogames, informática e telefonia. Passei pela loja WOM e então vi a Claro. E como já fui cliente da Claro antes, a escolhi, deixando a Movistar pra lá. 

Me comuniquei em português com a atendente, que pelas minhas mímicas compreendeu o que eu precisava, me deu uma senha e me encaminhou para um atendente. O rapaz que me atendeu era muito solícito, explicou que eu precisaria primeiro comprar o chip (mil pesos) e depois voltar em sua mesa para que ele fizesse a compra do plano de 3 dias com direito a 500 mb, redes sociais gratuitas e 200 minutos de ligação, não que eu fosse ligar para alguém.

Fui até o caixa (que havia apenas três pessoas na minha frente) e esperei como se houvessem dez pessoas para serem atendidas antes de mim. Atendimento lentíssimo. Paguei com a nota de mil pesos que possuía (nota essa doada pelo meu ex-namorado quando o mesmo foi para o Chile e não me levou, me doando apenas as notas que sobraram) e retornei a mesa do atendente.

Usei o ferrinho do meu brinco para abrir aquela gavetinha do IPhone em que fica o chip e quando puxei a gaveta com o maior cuidado, saiu voando gaveta e chip para cada lado. 🤦🏼‍♀️ Parecia até cena de filme de comédia ruim rs. A minha sorte foi que, apesar de tudo ter sido muito rápido, eu consegui vislumbrar meu chip caindo dentro de uma das minhas sacolas, então deixei para procurá-lo depois. 

Quando ficou tudo ok com o novo chip no meu aparelho, o atendente disse que já estava com alguns créditos pela compra do chip e que se eu quisesse não seria necessário comprar o tal plano de três dias. Acabei não adquirindo então e saí da loja para me sentar nas poltronas que haviam em frente para mexer no celular.

Mandei uma mensagem para o Personal e resolvi entrar no insta rapidamente, quando de repente a internet acabou. 😒 O atendente bem que podia ter me explicado que os créditos que vieram eram míseros e não dariam nem para o cheiro, né?!

Voltei na loja para comprar o tal plano, mas ele já estava atendendo outra pessoa. Resolvi esperar por ele, pois não queria ter o retrabalho de explicar tudo para outro funcionário, até mesmo pela dificuldade na comunicação. No entanto, como ele demorou demaaaaais, cheguei à conclusão que seria mais rápido eu explicar tudo de novo para outro atendente mesmo.

Enfim, me encaminharam ao caixa mais uma vez para que eu pagasse 1.500 pesos da compra do plano. Novamente demorou para eu ser atendida e quando finalmente chegou a minha vez, para variar, tive que ouvir: “solo efetivo”, pois a maquininha de passar cartão estava com problema. 😒

Eu tinha só mais uma nota de mil pesos (ainda daquelas notas doadas pelo ex) e faltava 500. 😭 Perguntei onde eu conseguiria carregar com cartão e ela disse que numa farmácia. Lá fui eu em busca de uma farmácia.

Por sorte (sqn) rapidamente encontrei uma chamada: “Ahumada”. E quando chegou a minha vez de ser atendida, novamente escuto: “solo efetivo”, deu vontade de gritar: “MAS QUE PORRA!!” 🤬 na cara do atendente! 😅 Mas respirei fundo e me contive rs. Perguntei em qual farmácia eu conseguiria então, e ele respondeu: “Cruz Verde”.

Fui até um telão gigante que permitia fazer a busca pela loja no shopping e após descobrir que havia aquela farmácia lá, enquanto procurava onde informava em que piso eu estava, de repente avistei a tal Cruz Verde a minha esquerda. Ufaa. Será que finalmente as coisas iriam conspirar a meu favor? A farmácia estava lotada e o atendimento era por senha. A minha era 53, ainda estava na 39.

Esperei… esperei… esperei… quase não ouvi quando disseram meu número. Estava divagando em meus pensamentos. Quando me deu o estalo que chamaram meu número, já estavam chamando o 54.

Enfim consegui fazer a recarga, voltei na loja da Claro, esperei mais um tanto para o atendente liberar e eu ser atendida, até que pronto. Pacote de 3 dias adquirido com sucesso! Aleluia!! 

Daí resolvi ir almoçar, que todo aquele vai e volta pelo shopping tinha me dado fome. Encontrei um restaurante fantástico chamado: “Tanta”! 😋

Pedi dicas para o garçom e ele falou que o Salmón a La Chorrillana saía muito entre os brasileiros. Confiei e pedi essse mesmo. Adorei! 😋

Quando terminei de almoçar, já era quase quatro da tarde, o dia havia passado muito rápido e eu não tinha conseguido aproveitar muita coisa. Procurei por táxi para voltar para o hotel. Poderia voltar andando, mas estava com sacolas, estômago cheio e com os pés cansados de tanto andar naquele shopping. Por sorte encontrei um que passava cartão, se é que posso chamar isso de sorte, já que ele me roubou. Mas vamos deixar isso para depois.

Enfim de volta ao hotel, meu celular estava quase descarregando e o deixei dando uma carguinha, enquanto eu procurava pelo meu chip nas sacolas. Felizmente eu estava certa, e ele havia caído lá dentro mesmo, junto com os tapetes. Aliás, olhem que fofos os meus tapetes: 😻

Depois deitei na cama e descansei um pouco. Fiquei com uma vontade tremenda de tirar um cochilo, mas me segurei. Estava em outro país e precisava aproveitar da melhor maneira possível.

Cogitei visitar alguns pontos turísticos, indicados pelo Língua de Seda em nosso último encontro, mas já era quase cinco da tarde, e fiquei com receio de ir para lugares que requeriam meia hora de trajeto para quando chegar já estar anoitecendo. Daí então resolvi ir andando para outro shopping (que no mapa marcava apenas há 10 minutos andando), chamado: Parque Arauco.

Nunca fui tão enganada em toda a minha vida! O shopping não ficava há 10 minutos coisa nenhuma. Quando cheguei nesse endereço, descobri que estava errado. Precisei andar mais 30 minutos!! E o pior, não tinha nem um fone de ouvido para ouvir minhas músicas  no celular enquanto caminhava, pois o havia perdido no avião. 😢 Tadinha de mim, toda cagada.

Como sempre fiz do limão a limonada e aproveitei o percurso triplicado para explorar o lugar, pedindo informações a cada cinco minutos.

As pessoas pelas quais eu pedia informação eram super prestativas e certa vez que precisei atravessar uma rua sem semáforo, o carro que estava vindo cedeu passagem na mesma hora. Quanta diferença do Brasil.

Enfim cheguei no tal Parque Arauco, que era mesmo muito bonito! Ainda bem que não fiquei cochilando no hotel rs.

Comprei algumas lembrancinhas numa lojinha com estrutura de banca de revista (que ficava no lado externo do parque), e me aventurei em duas lojas de roupa lá dentro do shopping. Comprei duas blusas de frio numa loja chamada Marie Claire, caríssima mas com roupas de cair o queixo. Sabia da facada (a essa altura estava usando o site https://www.conversor-dolar.com.br/Real_Peso_Chileno para converter a moeda), mas extrapolar uma vez na vida não mata ninguém, né?! Só não posto a foto dessas blusas lindíssimas para que não me reconheçam na rua rsrs.

Na segunda loja que me aventurei, passei um certo constrangimento, pois na hora de pagar meu cartão deu limite do dia excedido. O que achei muito estranho, pois meu limite é consideravelmente alto e eu sabia que não tinha gastado tanto assim (depois fui informada que para compras internacionais o limite é menor mesmo). Me sentei em um dos bancos do shopping e resolvi olhar a minha conta. Foi quando descobri o roubo do taxista. 😒

Todas as contas batiam: loja Morph, recarga de celular, almoço, loja Marie Claire, loja de chaveiros… até que me deparei com uma cobrança de R$ 500 que eu desconhecia. As cobranças não especificavam o nome das lojas como quando utilizo o cartão no Brasil, apenas constavam: “compra internacional”. Só faltava o valor do táxi, então somei um mais um, aquele cretino devia ter acrescido um número a mais na maquineta e eu leiga não me atentei. Me cobrando quinhentas pilas por uma corridinha daquelas! Bandido!!!!! 🤬🤬🤬

Fiquei revoltadíssima. Por causa de um problema descobri outro. Mandei mensagem para o Personal contando o que aconteceu e tive que esperá-lo ir me encontrar. Que situação… 🤦🏼‍♀️ Ele demorou mais de uma hora para chegar, pois ainda estava trabalhando.

Fiquei um bom tempo esperando e justo quando ele estava prestes a chegar, um rapaz chileno veio falar comigo. 😯 Aparentava ter entre 25 e 30 anos. Era bonito mas não tanto. Me abordou falando umas coisas que não entendi direito, só entendi: “me gusta su estilo, tu roupa”. Ele estava me elogiando pela roupa? Rs.

A conversa foi muito breve, ele disse que se chamava Nicholas, que pretendia aprender a falar português nos próximos meses pois viajaria para o Brasil (mais especificamente para Florianópolis) e perguntou o que eu estava fazendo ali. Respondi que estava esperando uma pessoa, e foi quando ele se tocou de ir embora rs. Apertamos as mãos e se despediu dizendo que ia encontrar um amigo para tomarem um café. Sarinha arrasando corações até no Chile rsrs. 💃🏼

Enfim o Personal chegou e fomos jantar num dos restaurantes localizados na parte externa do parque. Surpreendente a essa altura a temperatura tinha caído bastante, e comecei a tremer de frio mesmo agasalhada. Não perdemos tempo e entramos no primeiro que aparentava ser bem quentinho rs. Santa Brasa foi o escolhido, parecia uma churrascaria. Não curti muito a carne.

Depois fomos sacar dinheiro para pagar o táxi (que dessa vez foi super honesto e já estipulou o valor fechado, de apenas 4 mil pesos, para nos levar de volta) e quando chegamos no hotel eu estava podre. Nunca tinha andado tanto na minha vida, nem passado por tanto enrosco num dia só.

O Personal sugeriu que eu aproveitasse a banheira para relaxar e foi o que eu fiz. 🤗 Quando fui deitar estava caindo de sono de tão relaxada que fiquei. Conversamos um pouco enquanto ele me fazia uns carinhos, até que apaguei completamente. 💤

2 comentários em “Viagem com o Personal Gineco – 2° Dia!

  1. Voce é tao linda quando esta dormindo!!!!
    Os ogros irao questionar: dormir????!!!!
    Sim dormir, descansar! A pobrezinha estava cansada demais e respeito é comigo mesmo!
    Afinal teremos a vida inteira pra aproveitar!❤️😍😘

  2. Estou “curtindo” a viagem, Sara! Além das indicações..pode ser que tenha sido apenas este, mas é sempre bom ficar atento! Shopping lindo este!

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.