Cliente 369 – “O Versátil”

Combinamos no motel Astúrias. Suíte 38. Quando entrei (ele já havia deixado a porta destrancada para mim), o vi logo de cara, em pé, de roupão, me aguardando. Humm, bem mais interessante que na foto. 😏 Só foi o tempo de eu colocar a minha bolsa na mesa e na sequência fui até ele, beijá-lo. Nos beijamos um pouco de pé, despiu minha roupa e nos encaminhamos para a cama.

Ainda que estivéssemos praticamente nus, demorou para que um fizesse sexo oral no outro, pois ficamos bastante tempo, sem pressa nenhuma, apenas nos beijando e nos tocando. Foi mesmo delicioso toda aquela química. ✨ Somente após uns bons minutos que me deixou descer para seu pau. O chupei caprichosamente e ainda fiz beijo grego (que ele já havia me adiantado por mensagens que curtia). Depois me puxou para mais beijos, ao mesmo tempo em que seus dedos habilidosos brincavam com a minha menina. 😏

Depois ele também desceu para me chupar e quase me fez gozar. O chupei mais uma vez depois disso e então sugeriu fazermos 69. Fizemos deitados de lado, ficando algum tempo naquela delícia, até ele pedir para eu ficar de quatro, pois queria me chupar lá atrás também. 😛 Que tesão que foi! Depois disso, imagino que não aguentou muito me ver naquela posição e pediu para transarmos com camisinha (como se eu fosse dar sem preservativo kkkkk).

Encapamos e começamos comigo por cima. Tentei usar meu brinquedinho clitoriano, mas acabou a bateria bem no fio da meada. 😭 Continuei na mão mesmo e consegui gozar, ao mesmo tempo em que o sentia dentro de mim. 🤤 Depois ele, habilmente, me levantou e me deitou (homem forte é outra coisa hehe), para que ele pudesse vir por cima. Estava tão gostoso que, certa altura, até me masturbei de novo, mas não cheguei a gozar (a minha segunda também demora um pouco rs). Ele continuou bombando e quando seu orgasmo veio, ele tirou o pau e continuou na mão, mesmo com camisinha, justificando que tinha medo da camisinha estourar. Ou seja, mesmo com preservativo ele não confiava de gozar transando, isso que é medo! Rs.

Ficamos algum tempo conversando (ótimo papo ele tem, inteligente, falamos de fotografia), até que retomamos os beijos. Ele me chupou de novo e depois veio sentando por cima de mim, trazendo seu pau para a minha boca. Nessa hora o interceptei, o lembrando que ainda não havia lavado seu piu-piu após a ejaculação (tão cuidadoso quando é com ele e um tanto avoado quando é comigo rs), daí ele se desculpou alarmado e foi rapidamente passar uma água.

Assim que retornou, continuamos de onde paramos e caí de boca nele outra vez (se pau sequer tinha amolecido nesse tempo em que foi lavado 😯). Depois pediu por beijo grego de novo e posteriormente fio terra. ☝🏻 Daí coloquei uma camisinha no meu dedo e o introduzi aos poucos, ao mesmo tempo que ele se masturbava. Depois ele disse: “Se você me chupar ao mesmo tempo, seria lindo” e assim o fiz, mexendo o meu dedo dentro dele de uma maneira peculiar, tocando sua próstata, enquanto minha boca se dedicava ao seu pau. Acho que fiz do jeito certo, pois ele fazia comentários de aprovação conforme eu movimentava e acabou gozando assim, me avisando antes, já que não finalizo no oral.

Ajudei que se limpasse e durante essa nova pausa, aproveitei para lhe dar meu livro de presente. Ele abriu a embalagem (ainda estava lacrado, já que ele pediu sem autógrafo para não lhe comprometer) e deu uma boa folheada, lendo por cima a parte dos agradecimentos, prefácio e prólogo. Depois nos levantamos para beber água e então ele disse que não conseguiria fazer mais nada, cedendo o tempo restante (ainda tínhamos meia hora) para o meu prazer. “Quer gozar?!” Ele perguntou assim do nada, como se me perguntasse se gosto de chocolate rs. Rimos do seu jeito nada sexy de abordar o assunto e por fim respondi que sim. Quem não? 😛

Perguntou se podia me chupar e como eu gostaria de ser chupada. Escolhi comigo deitava confortavelmente na cama e lá foi ele. Acabei te dando um certo trabalho pois, demorei bastante para gozar, por vezes intercalando com minha própria masturbação, até que enfim consegui chegar lá. Nova pausa. Conversamos sobre redes sociais e suas censuras. Daí bebi mais um pouco de água e lembrei de um outro pedido que ele havia feito por mensagem: me assistir urinando. 💦

Entrei nesse assunto e curiosamente descobri como surgiu esse seu fetiche. Ele contou que quando tinha apenas 7 anos de idade, durante o período do Carnaval, viu uma mulher agachada fazendo xixi na rua e desde então passou a achar sexy assistir uma mulher fazendo isso. 😯  Não urinando nele, mas apenas assisti-la. Falei que devido a quantidade de água que havia bebido durante o nosso encontro conseguiria atender seu pedido e ele sugeriu que fôssemos para a hidro (que era de mármore e gigantesca).

Entrei na banheira, me agachei e me surpreendi quando ele também entrou (achei que fosse me assistir de fora), se agachou que nem eu, um pouco mais à minha frente, deitando a cabeça para o lado, para enxergar melhor quando saísse. Procurei ignorá-lo nessa hora e tentei focar. Me senti levemente pressionada e confesso que realizar esse fetiche ainda me trava um pouco. Por mais que o cliente enfatize que gosta e que lhe dá muito prazer, eu continuo com vergonha de fazer algo tão íntimo na frente de quem quer que seja rs. Demorou, mas enfim começou a sair. Não fiz muito, mas o suficiente pra deixá-lo de pau duro.

Quando terminei, aproveitei para chupá-lo, que estava ereto bem na minha frente, mas não o bastante para que ele gozasse e então voltamos para o quarto (não sem antes ligar a água da banheiro para que a urina fosse embora). No quarto voltamos a nos beijar (ele ainda estava duro) e perguntou se podíamos transar mais uma vez. Claro que não lhe negaria esse pedido, até porquê ainda tínhamos tempo, encapamos e ele veio por cima, mas logo depois pediu que eu ficasse de bruços. Meteu até gozar. Isso porque ele disse que não aguentava mais nada rsrs. O que um fetiche não faz?! Hehe. Depois fui para o banho e acabei partindo antes dele. Encontro de 2h. 😌

Um comentário em “Cliente 369 – “O Versátil”

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.