Pernoite com o Quantitativo!

Querido diário…

Estou impressionada em como fazia tempo que eu não me aventurava em um pernoite! Dei uma rápida pesquisada aqui no blog e o meu último foi em maio de 2018. Uau! Um ano dormindo comportadinha dentro de casa, sem virar  a noite em companhia masculina (sqn). Quero dizer, pelo menos não à trabalho hehe.

E esse foi ainda mais especial, pois não seria apenas um pernoite de 12h como os pernoites costumam ser, mas, prolongado. Me requisitou até às 13h do dia seguinte, me fazendo especular que se num encontro de duas horas ele gozou quatro vezes comigo, imagina qual será seu recorde em dezoito horas… rs. 😁

Novamente o encontrei no hotel Unique. Conversamos um pouco a princípio, mas não demorou muito para que engatássemos o primeiro round da noite. Logo eu me encontrava de quatro naquele sofá de couro branco, com ele me penetrando com vontade. Desta vez as transas duraram mais tempo, já que, afinal, tínhamos a noite inteira para isso.

Não me recordo em que momento ele pediu o jantar para nós, se foi depois da primeira, da segunda ou da terceira transa, só sei que foi mesmo preciso nos abastecermos, já que foram quatro rounds naquela noite. Isso mesmo, quatro! E todos da mesma maneira: comigo de quatro no sofá. Ô homem disposto! Mas, antes do jantar, bebemos vinho, ouvimos Red Hot Chili Peppers na JBL e conversamos, pois, um pernoite não é feito só de sexo. Se aproveita a companhia do outro de outras maneiras também.

Perto de dormimos, ele ainda acompanhou uma partida da NBA pela TV, comigo sentada ao seu lado e a TV sem som nenhum, pois lhe bastava ver apenas as imagens, com a voz do Anthony Kiedis de fundo. Fomos dormir aproximadamente 1h da manhã, acredito eu, não me recordo ao certo.

Acordei poucas horas depois com os seus roncos. Definitivamente ele foi o homem (por enquanto) com o ronco mais alto e estranho que já dormi junto. Essa é a parte ruim de fazer um pernoite, você não sabe (até aquele momento), como é aquela pessoa dormindo. Ossos do ofício. É por essas e outras que pernoite é mais caro. Nosso sono é comprometido, seja pela quantidade de horas transando ou pelo ronco do vizinho.

Na manhã seguinte, ele acordou ainda mais disposto e transamos três vezes, isso mesmo Brasil, três vezes! Foi o número recorde de transas matinais que eu já fiz num pernoite rs. Ainda bem que o café da manhã daquele hotel é mesmo divino e generoso, foi ótimo para repor as energias. Só não consigo descrever o que comi exatamente tanto no jantar, quanto pela manhã, porque, afinal, esse encontro foi há mais de um mês e preciso exercitar melhor a minha memória rs.

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.