O Perspicaz | Parte 4: Segundo Encontro

-Que gostoso, que bonito acordar e as primeiras coisas a ler serem essas palavras tão doces e carinhosas, muito gostoso. Obrigada ********** (disse meu nome no diminutivo e depois deu uma risadinha). …Ô, mas deixa de ser palhaça, sabe que tudo isso aí não é verdade, que eu não sou isso, que eu não estou te tratando assim. É só porque é carnaval né, carnaval é diferente. Mas eu quero muito te ver. O que é que você vai fazer hoje?

Não imaginava que a minha mensagem da noite anterior fosse me render um áudio – positivo – de 30 segundos!! Fiquei bastante feliz com o resultado!!! 🤩

-Agora ele vem querendo me reconquistar jogando todo o seu charme sonoro pra cima de mim! Ai ai. – daí enviei uma figurinha com os seguintes dizeres: – Hoje eu to disponível! Amanhã também…

-Hahaha. Boa! Quando eu sair do trabalho te aviso.

-Que seria mais ou menos que horas?

-Eu saio tal hora. Quero comprar uma camisa de carnaval, bora?

Me chamando para ir às compras com ele?? Interessante… 😏

-Topo! Vou te convencer a comprar uma bem feia e cafona pra não fazer tanto sucesso nesses bloquinhos.

-Hahahaha.

E assim fomos combinando o nosso segundo encontro…

Ele falou de irmos numa loja que, a propósito, ficava muito perto da minha humilde residência, fazendo com que ideias de trazê-lo para conhecer o meu cafofo brotassem na minha mente. Porém, acabamos não indo para a tal loja, por conta da repentina chuva que acometeu São Paulo. No entanto, ele foi para a minha casa, algo que me rendeu uma certa adrenalina!

Quando ele estava pegando o Uber, saindo do trabalho dele, eu também estava dentro de um Uber, voltando de um cliente. Ele saiu antes do previsto. Cheguei em casa toda esbaforida, fui direto para o chuveiro e com o tempo que me restou dei uma ajeitada mais severa no apartamento, camuflando possíveis pistas que ele não poderia descobrir (tão já) a meu respeito.

Interfone tocou. O boy já estava na portaria. Vocês  também sentem um friozinho na barriga sempre que recebem alguém na sua casa pela primeira vez? Confesso que não me sinto tão confortável sendo a anfitriã, prefiro muito mais ser a hóspede, mas, lá estava eu, apresentando a ele o meu paraíso particular. Esperei por ele na porta e assim que saiu do elevador, o vi se direcionar para o lado contrário rs. Estudou e andou pelo meu apartamento como se aqui fosse um museu. Viu minha estante de livros e filmes, comentou sobre certos quadros na parede e até o banheiro dos meus gatos virou pauta de assunto. Depois de todo “esse tour”, se sentou no sofá e me sentei no colo dele.

Sentiu saudade? – Ele perguntou.

-Me diz você… – Não entreguei o jogo.

-Hahaha, olha como você é… toda misteriosa… – pausa – senti sim.

Nos beijamos. Aquele costumeiro beijo gostoso e, por um segundo, achei que as coisas fossem desenrolar ali. Mas, não. Ele puxou mais assunto e entendi que não queria transar tão rápido. Daí falei de um texto que precisei desenvolver para a aula – o teatro também trazendo à tona os meus talentos como escritora – e levantei para buscar o meu caderno de estudo. Primeiro li para ele o texto que me foi dado como referência e depois o meu, que desenvolvi orgulhosamente. Quando terminei a leitura, olhei para ele e perguntei o que tinha achado. Ele pareceu impressionado e pegou a folha da minha mão, relendo direto da minha escrita. Fiquei mais uma vez orgulhosa com aquele texto, acho que consegui impressionar o boy. 😌

Depois a conversa caminhou naturalmente para outros assuntos e dali a pouco, quando eu menos esperava, ele se voltou para o meu caderno que estava abandonado do seu lado. O meu caderno de estudo, devo alertá-los, é um mini diário de bordo, pois, muitos textos postados aqui foram primeiramente rascunhados lá. Então imaginem o meu pequeno pânico interior, quando ele começou a folhear as páginas, temendo que ele caísse ou chegasse numa página errada. 😰

O texto “Eu, Tu e Ela”, por exemplo, também nasceu lá e de todos que escrevi era o mais destacado, escrito em caneta vermelha, com o gritante título: “Ménage à trois”. Ao mesmo tempo já comecei a pensar num plano de fuga, caso o pior acontecesse e decidi que se fosse preciso eu tomaria o caderno da mão dele repentinamente, com alguma desculpa que ainda não tinha conseguido elaborar.

Eu sei que não deveria escrever esse tipo de coisa num espaço destinado para outras finalidades, mas, sempre aproveito os momentos de inspiração onde quer que eu esteja. Imaginem só, a professora explicando sobre determinado conceito que, por acaso está me entediando, e eu lá dissertando sobre algo completamente inapropriado. 😁🤭

Felizmente não foi preciso nenhuma atitude desesperadora da minha parte, ele folheou as páginas por mais um tempo na ordem que as folhas se apresentavam e perdeu o interesse antes de chegar no primeiro rascunho. Nos beijamos mais uma vez e quando voltamos a nos olhar, ele me observou por tempo que considerei demais em silêncio. Acabei lhe perguntando: “o que foi?” e ele, inesperadamente disse que eu tinha “alguma coisa”. 

-Como assim, alguma coisa? – Perguntei confusa e curiosa ao mesmo tempo.

-Sei lá, alguma coisa. Alguma coisa não encaixa em você.

-Como assim?? Rs. – Que papo mais estranho era aquele?

-Sei lá, talvez você seja mesmo uma louca.

-Louca??! Como está na minha frase do Tinder? – O tal texto fora da casinha que bolei.

-Sim.

-Hahahahahaha. Já pensou??

O boy estava desconfiado. Disse que me achava misteriosa demais e que alguma coisa havia. E realmente havia, afinal, um segredo muito importante sobre mim estava sendo ocultado dele e, de alguma maneira, na sua visão coisas em mim não estavam encaixando. Talvez fosse a minha independência mesmo parecendo tão nova, sei lá, ele não foi mais claro e eu tratei de mudar de assunto.

Daí começamos a conversar sobre música e acabei colocando um videoclipe da Lana Del Rey que é brisa total:

Depois tivemos a ideia de assistir um filme e o escolhido foi: “Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças”. Durante a sessão sugeri fazermos brigadeiro de panela e coloquei o boy para “cozinhar” pra mim. 😬 O brigadeiro dele não ficou tão bom quanto o dos meus amigos, mas, ainda assim estava gostoso. (Qual brigadeiro consegue ser ruim??)

Em determinada parte do filme, fiquei com vontade de fazer uma pausa para intercalarmos com alguma outra atividade juntos (tipo sexo) e joguei a isca:

-Você não quer deitar mais o sofá?

-Não, melhor não, senão vou ficar com vontade de te agarrar e quero terminar de assistir o filme – Mas era justamente esse o intuito!

-Ahh, mas o filme dá pra pausar e voltar… – Fiz minha última tentativa, que ele ignorou.

Fiquei levemente desapontada, pois, não havíamos nos beijado pra valer ainda, muito menos transado e pelo visto somente eu estava preocupada com isso. Não forcei a barra e voltei a prestar atenção no filme, ainda que eu estivesse subindo pelas paredes. 🥵

Quando enfim o filme terminou, fomos para a minha cama de uma maneira um tanto ensaiada e me senti um pouco estranha, como se ele só quisesse seguir um script e não porque estivesse realmente excitado. Foi gostoso porque eu estava com muita vontade, mas, de longe via-se que não houve a mesma dedicação do primeiro encontro. Tomamos um banho, voltamos para a cama e fiquei na expectativa de um segundo round. Que não veio. Ele conseguiu perceber a minha empolgação por mais uma rodada e me jogou um grande balde de água fria, dizendo:

-Você é taradinha, né?

-Sou?

-Sim, você é muito sexual.

-Por que você diz isso?

-Aquele dia na minha casa, logo que terminamos de transar você já disse que queria de novo (verdade, eu disse mesmo) e antes de ir embora ficou querendo uma terceira…

-Ué, você que ficou me provocando antes de eu ir…!

-Eu estava só brincando… e agora durante o filme de novo você deu uma investida.

-Isso é ruim? – Fiquei realmente confusa já que ele percebia e não correspondia ao meu ritmo.

– Não, mas, às vezes me sinto pressionado.

Oi???? Eu não acreditei no que estava ouvindo. A gente mal se via e estávamos nos conhecendo, era completamente normal que rolasse muito tesão de ambas as partes no começo, ou pelo menos de alguma parte, já que o tesão aparentemente só vinha do meu lado. Estranho, muito estranho…

Dito isso, não rolou o segundo round que eu gostaria e saímos para comer fora. Os olhos dele estavam irritadíssimos da alergia dos meus gatos, então descartamos a possibilidade de pedir algo para comer no apartamento. Fomos numa pizzaria que não lembro o nome agora – uma que fazia pizza sem glúten – e foi engraçado nos depararmos com um público tão diferente de nós. Somente famílias e gente mais velha, sendo nós o único casal no estabelecimento.

Ele não gostou da pizza, achou mal servida e cara. Já eu, que estou acostumada com coisa boa, achei m-a-r-a-v-i-l-h-o-s-a. Ele não me deixou contribuir no momento de pagar a conta (ainda que tivesse reclamado do valor, dizendo que eu pagaria só na próxima) e em contrapartida pediu apenas que eu chamasse o Uber para nós, dali até a sua casa, que era bem mais perto de onde estávamos do que voltar para a minha.

Para a minha infelicidade, o que já estava lento parou de vez. Não transamos de novo em sua casa, ele colocou um filme para nós (um bastante sinistro, chamado: “Demônio de Neon”) e adormeceu com a cabeça deitada sobre as minhas pernas.

Após algum tempo que ele dormiu, pausei o filme e fui para o celular bombardear as minhas amigas de mensagens…

Para amiga 1:

Sim, minhas amigas sabem o que faço!
Sou mesmo muito detalhista, relatório completo!

Para a amiga 2:

Quando o filme acabou fomos para a cama, dormimos juntos naquela noite, porém nada de conchinha. Ele estava capotado. Dormi depois dele e acordei primeiro.

Amiga 1:

Esperei ansiosamente ele acordar para termos um matinal de respeito – já que não transamos na noite anterior, quando voltamos da pizzaria – e para o meu grande desapontamento, o matinal foi bem sem graça. Novamente fiquei com aquela sensação estranha de que ele estava executando a atividade somente por minha causa e não porque quisesse de fato.

Teve uma hora que fui por cima e ele fechou os olhos. Achei aquilo péssimo. Enquanto no primeiro encontro ele até acendeu a luz para me assistir gozar, agora ele ficava de olhos fechados, enquanto eu, lindamente, dava o meu melhor em cima dele. Gosto de olhar para a pessoa que estou transando e gosto mais ainda quando o outro também retribui o olhar. Fechar os olhos em algum momento ok, agora, permanecer o tempo inteiro de olhos fechados é broxante! Como se durante aquele tempo contínuo de ausência visual estivesse se utilizando da própria imaginação para pensar em outra pessoa. Me pareceu desinteresse e não me contive em interromper a transa. Saí de cima dele e falei que achava melhor fazermos uma pausa. Ele ficou sem entender, já que, afinal, a taradinha aqui parece estar sempre disposta e interessada.

Depois ele foi no mercado comprar algumas coisas para o nosso café da manhã e eu voltei a dormir mais um pouco. Não sei ao certo quanto tempo ele demorou para voltar, mas, tive a sensação que foi muito. Quando ele chegou, acordei na mesma hora com o barulho. Perguntei sobre a demora – apenas para me certificar que não era impressão minha – e ele disse que tal mercado estava fechado, fazendo com que precisasse ir até outro mais distante.

Fiz panqueca para nós, que não ficou das melhores já que alguns ingredientes tiveram que ser substituídos, mas, ele elogiou e comeu toda a sua parte. Durante a digestão do café da manhã assistimos a mais um filme – o convenci a assistirmos “A Família do Futuro” – e durante o filme rolou um negocinho!!!

De repente começou a rolar uma troca de carinhos. Talvez para ele fossem carinhos inocentes, mas, para mim pareceu uma abertura para algo mais, até porquê percebi que ele estava duro. Então abaixei a sua bermuda e comecei a chupá-lo. Ele entrou no clima e começou a me masturbar. Estava gostoso. Eu estava toda molhada. Ficamos naquela delícia por alguns minutos, até que interrompi para ir ao banheiro. Eu estava um pouco apertada e como todo o mundo sabe, transar com a bexiga cheia é mega desconfortável. Fui logo então, enquanto ainda estávamos nas preliminares ao invés de deixar para a hora H.

Daí, quando voltei, meus senhores, ele havia vestido a bermuda de volta!! Todo o clima tinha se dissipado e compreendi que não daria para retomar nada naquele momento. “Ok, vamos esperar o filme acabar”, pensei esperançosa. Lhes desafio a adivinhar o que aconteceu depois. Sim, acertou você que disse “nada”, absolutamente nada! Trocamos apenas alguns beijos e ele disse que também gostava só de carinhos, como se eu fosse uma ninfomaníaca que quisesse transar a todo momento. 

Nem tentei fazer a seduzente para conseguir alguma coisa, pois, naquele contexto seria como implorar e eu não precisava disso. Queria ser conquistada e não ter que conquistar alguém, ainda mais alguém que parecia tão inacessível sexualmente. Nunca imaginei que um boy da vida real me negaria fogo desse jeito. Sou de áries, gosto de intensidade! 🔥 Emoções fortes! 🔥 Coisas mornas não me encantam. Por acaso estávamos casados há mais de dez anos para já estar escasso daquele jeito?!

Aceitei as considerações dele numa boa e dali a pouco me vesti para ir embora, o que já estava previsto, independente de rolar uma nova transa ou  não. Ele gentilmente desceu comigo até a portaria e se despediu com o seu costumeiro: “tchau gata”.

Fui embora de lá sem uma saideira completamente frustrada! Como um cara que é apenas três anos mais velho do que eu, pode ter um ritmo sexual tão diferente?!

Amiga 2:

Maaaaaaaaaaas… apesar dos pesares, a história ainda não termina aqui! Ficamos juntos mais duas vezes e a próxima parte, que será a parte finalsim, acrescentei mais uma! – está ainda mais e-n-i-g-m-á-t-i-c-a!

Vocês não perdem por esperar! 

Enquanto isso… gostaria que continuassem compartilhando aqui qual a opinião de vocês a respeito de tudo que viram até o momento.

Seria eu uma tarada incorrigível? Precipitada e eternamente insatisfeita? Ou estaria ele exagerando por simplesmente não ter o mesmo apetite, não ser tão compatível ou qualquer outra discriminação que só quem está de fora poderia analisar? Quero saber!! Estou amando a interação de vocês nas postagens!! Continuem comentando!! ❤️❤️❤️

24 comentários em “O Perspicaz | Parte 4: Segundo Encontro

  1. Sara, na minha opnião não tem nada haver com a sua maneira de ser e porque você é taradinha, o que me parece é que ele na verdade tem interesse em você, mas de maneira morna, como relacionamento, eu não perderia muito tempo com uma pessoa que não tem aquele desejo de estar contigo a cada momento, de sentir o calor, o fogo e coisa e tal. Me pareceu um comportamento muito tecnico, sem fogo, sem paixão. Você, com certeza sai com clientes fixos que ficam contigo cheios de desejos e querendo te devorar, e esses não tem nenhum conhecimento sobre a “Sara” do dia a dia, ou seja, essea clientes ainda teriam menos motivos para te querer do que uma pessoa que re conhece e que sente o seu carinho e afeto sincero.

  2. Parabéns pelo relato. Conseguiu me deixar confuso e atordoado. Realmente está me fazendo pensar…
    Senti falta de mais detalhes sobre as conversas com ele. Muito filme não seria falta de assunto???
    Não sei qual seria minha reação diante dessa situação toda com uma mulher incrível como você. Mas obrigado por revelar de forma tão aberta as SUAS dúvidas, reações e forma de ver as coisas. Até mesmo seus papos com amigas. Rsrs. D+.
    Aguardando desfecho ansiosamente.

  3. Sexo é sempre um assunto complicado. Por um lado, sim, existe a visão de que homens são máquinas de transar e que mulheres já preferem algo mais carinhoso, mais meigo, menos visceral. Isso está correto? Não. Em ambos os sexos existem os tarados e os recatados. Você é uma tarada incorrigível? Não, é apenas uma mulher com um apetite sexual que foge daquele padrão que eu disse mais acima. Isso está errado? Bom, é errado alguém ter cabelo loiro? Ser negro? Ter olhos castanhos? Não também, é o que você tem. Ele pode não ter o mesmo apetite e com isso ele não te acompanha, o que não faz dele errado de não ter tal apetite, mas pode gerar essas opiniões conflitantes. E isso deve ser resolvido em uma determinada prática que tem se tornado bastante rara: DIÁLOGO. Ele tem que lhe dizer o que pretende exatamente e você o que espera e, a partir daí, vocês acertam o passo.

    Não há nada que você precise corrigir, Sara, a não ser que você veja que essa ou aquela característica está TE incomodando. Da forma como as coisas estão acontecendo, nessa fórmula entre vocês dois, você é a constante, ele a variável, ainda que a constante tenha um segredo, a variável também não fica atrás.

    E agora to muito curioso para ver a continuação.

  4. Cuidado
    felicidade = expectativa – realidade
    a ~sensação que tive é que ele já devia ter feito muita putaria nos dias antes e tava meio desgastado
    e olhou o encontro com vc , mais como “namorandinho” , do que como “vamos transar pra caralho ”
    se ele tivesse só querendo transar, talvez vc tivesse escrito que ele só te via pra sexo,que só queria isso..
    e isso talvez te incomodasse.
    Ele agiu com vc meio como namorada
    com certeza o ideal seria o equilíbrio né
    O olhar toda a casa, seria como tentar olhar pra dentro de vc. Te conhecer melhor.
    Olhe pelo lado positivo. Ele tem interesse em te conhecer melhor, desvendar mais vc
    ansioso pelo parte 5
    adoro sua maneira de escrever
    Ps. Esse filme ” Brilho eterno “, é incrível, demais !!

    1. Não acho que ele estivesse desgastado sexualmente, pois, se tivesse não precisaria nem se dar ao trabalho de me encontrar, sei lá. Vejo que talvez ele seja mais sossegado mesmo. 🤷🏼‍♀️ E realmente se ele demonstrasse me querer só para sexo eu também estaria reclamando rs (nunca estamos satisfeitos com o que temos hahaha). Vamos aguardar os próximos capítulos!! E obrigada pelo elogio!! ❤️❤️❤️
      Ps.: Vou me comprometer a assistir o filme de novo!! Rs.

      1. Bom, acredito que homens geralmente tem sim, uma separação entre mulheres pra transar e mulheres pra se relacionar… Ainda não entendi qual é a dele, acho que ele é bem ativo sexualmente, mas estava num momento pós carnaval, onde transou muito despretensiosamente, e com você ele quer mesmo o estilo namoradinha (Não sei pq, mas alguns tem a imagem de namoradinha como apenas carinho, quase nenhum sexo). Assim como você disse que reclamaria caso ele quisesse só sexo, talvez seja essa a imagem que ele está tendo de voce, (Novamente dando liga ao fato de que nunca estamos satisfeitos) ou seja, as vezes temos que ir devagar no começo para ir rápido depois, mas é perfeitamente compreensível seu desejo por ele ali no momento, e não apenas pelo ato. O fato de assistir tantos filmes em um curto espaço de tempo, e pouquíssimos momentos íntimos, me diz que ele é bem acomodado quando se encontra sem compromissos diários, ou seja, não acho que esse apetite sexual irá melhorar substantivamente, o que como você disse, é muito estranho, pois no começo as coisas pegam fogo, e muito! Infelizmente estamos todos sujeitos a esses tipos de adversidades, pois ao mesmo tempo que ele te conheceu de uma maneira diferente de nós aqui, que já conhecemos um lado mais íntimo seu, nós desconhecemos essa “tarada” como ele colocou, a pessoa que é carinhosa mas gosta de transar. E se fosse pra ficar com alguém que já conhece esse seu lado, talvez não haveria esse fogo todo por sua parte (Mesmo se a pessoa demonstrasse todo o afeto pelo seu ser).

  5. Como sempre seus relatos são muito bem escritos e fascinantes, empolgado para saber o final, e…
    Desafio: Releia os prints, você revelou um segredo que não gostaria de revelar, sera que você descobre? Estou curioso?

  6. Uma vez tu me respondeu aqui, dando um conselho, então te retribuio com minha humilde opinião. Eu sempre penso o lado negativo, então uma ideia a ser considerada:

    Ele não quer compromisso pois está em uma zona de conforto da qual não quer sair, e “acabar” relacionamentos traz desconforto.

    Se for assim, ele só queria uma transa e é preguiçoso demais, ora para se comprometer, ora para encerrar o assunto.

    Deixa o homé correr atras muié, pois mesmo que seja só para ter uma amizade colorida, esse cara não tá merecendo muito não. Atenção devemos dar a quem nos dá atenção.

  7. De nada você merece o elogio porque é uma boa cronista, quanto ao segredo ter passado “despercebido”, huahahaaa, parece que eu também passei e você nem “percebeu” o que havia para ser “percebido” no comentário, rsrsrsr, pelo menos matou minha curiosidade, tem mais?

  8. Muito boa a história e os textos… Estou ansioso pra ler o resto! Não te conhecia, nem o blog mas fiquei animado… Hahaha

    Pensando até em entrar no Tinder 😉

    Esse cara aí… Sei não, achei ele muito fraco, esse início é quando rola mais tesão. Parece que ele tem algum problema ou questão mal resolvida aí

  9. Sara !! Acho q de uma certa forma vc deve estar surpreendendo ele!
    Pelo menos na minha experiencia, as mulheres tem o apetite sexual menos aflorado infelizmente! Eu adoraria conhecer uma mulher com o apetite sexual igual ao seu. Pode ter ctz que essa não é a regra e o cara deve estar um pouco assustado.
    Infelizmente ele parece não estar sabendo utilizar isso a favor dele.
    Ele parece sim estar interessado em vc pois se não estivesse jamais estaria passando tanto tempo fazendo programa de namoradinhos.
    Eu sei q essa história já tem um ponto final mas imaginando que estamos em tempo real de acordo com seus relatos, no próximo encontro eu deixaria a iniciativa do sexo com ele. Para ver qual é a característica do estímulo que vai deixá-lo com vontade de transar. Conhecer ele para saber o que o excita de verdade. Acho q o que está faltando é vc conhecer o que deixa ele satisfeito e ele perceber que vc está necessitando a ação dele.
    Acho que tudo isso é normal em um início de relacionamento.
    Às vezes ele ter transado mal de manhã seja pelo fato de ele não gostar de transar de manhã ( eu detesto) E não por falta de interesse em vc.
    A sintonia entre vcs será estabelecida com ctz. Mas é só o tempo que será o responsável por colocar as coisas em seu devido lugar.
    Uma vez ouvi uma definição perfeita do que é um relacionamento:
    “ o relacionamento é a arte de administrar as diferenças! “

  10. Sara. Excelente texto. Nos prende do inicio ao fim. Parabéns: nos(me) deixa sempre querendo ler o próximo parágrafo. Muito bom. E excelente a idéia de “mesclar” whatsApp” com o texto – inovador! (vc deve digitar muito rápido)
    Com relação a suas perguntas e indagações, posso esperar um desenrolar já anunciado – vc nos dá a dica, pouco à pouco, neste último texto: pizzaria familiar, filmes conceituais, apartamentos, “conchinha”, locais fechados, dúvidas do amante, e, de outro lado, a personagem, Sara, uma mulher, decidida, totalmente entregue, sexual, com suas dúvidas e poucas certezas mas muita expectativa para algo maior e mais envolvente que possa acontecer. Não podemos que há um um segredo que pode ser revelado! excelentes ingredientes! Parabéns. Aguardemos agora qual desfecho vc dará. Obrigado!

  11. Sara muller

    Em primeiro lugar parabéns pelo texto, mais uma vez uma narrativa gostosa de se ler e com qualidade da escrita. Para quem se sentia insegura em colocar uma história que nada tinha a ver com encontros, essa sequência de postagem está um sucesso, percebe-se pelas interações das pessoas.

    Em segundo lugar, falando apenas do texto, tem coisas na vida engraçadas mesmo, idealizamos tanta coisa coisa na vida e quando finalmente nos deparamos, no mundo real, com o que imaginamos, temos medo.
    Todo homem, em seu imaginário, sonha com uma mulher taradinha, daquelas que curtem e aproveitam intensamente uma noite tórrida e quente de sexo, acredite, junto com o Menage é o que habita o imaginário das fantasias sexuais masculinas, por isso não deixa de ser irônico, alguém que encontra essa mulher, se sentir incomodado e demonstrar desconforto com isso. É estranho mas é real, pois uma coisa é o imaginário, outra é o mundo real, e o seu “date” aí mostrou isso. Vendo o histórico dos textos me lembro do primeiro quando ele te deixou claro que não acreditava na exclusividade dos relacionamentos, o que parecia um recado, tipo de ser bem resolvido e mostrar que não tem sentimentalismo, mas a realidade dos fatos sempre insiste em dar as caras. Na verdade acredito que quando ele te questionou e disse que você tem mistérios, e que tem algo oculto em você, acredito que ele não estava falando de você, mas sim dele mesmo, ele tem algo escondido, ou seja, uma mulher decidida e objetiva como você deu medo, ele se incomodou ao ver alguém tão decidida assim e vou te contar, ele não está só, eu mesmo já passei por situações assim, de me assustar com mulheres que eu conheci, que eram muito à frente do que eu pensava. O problema disso não é se assustar ou se surpreender com uma mulher assim, mas sim aprender com isso e tratar de se adaptar a esta situação. Mas a gente vai aprendendo, e um dia chegamos no patamar de vocês mulheres.
    Enfim, parabéns pelo texto, achei o máximo, só reforça minha alegria de acompanhar suas postagens, talento diferenciado você tem.
    Tenha um excelente dia e ansioso para a parte final do texto.

  12. Bom, na minha estrita visão, uma pessoa que tenha vontade de fazer sexo em um encontro e logo no próximo já está morno, demonstra que o tesão que essa pessoa tem é na conquista, demonstrou para si que conseguiu conquistar mais uma parceira, que conseguiu levar mais uma mulher para cama, melhorando o seu ego.

    Agora o tesão da conquista passou, e tem que fazer o scrip de bom homem, para não ser um “macho escroto”, ou mesmo para manter a garota em stand-bay, pq vai que a vontade de fazer sexo com ela volta de novo, não é mesmo.

    Enfim, é muito estranho uma pessoa te desejar em um encontro e no seguinte já esfriar, mais 1 mês e vai ficar aquela “ar” de desejo que o outro vá embora para você poder continuar vivendo sua vida, buscando outros relacionamentos abertos.

  13. Mas vamos lá! O que eu acho que acho:

    1) Muito estranha essa instabilidade no proceder do “Perspicaz” – quem leu os relatos do primeiro e segundo encontros pode facilmente acreditar se tratarem de pessoas distintas (medo de quem ele será no terceiro encontro);

    2) e não digo tão somente no tocante ao interesse (ou falta de) sexual, acredito que pra isso se tenham “n” explicações plausíveis – ele pode ter passado por alguma situação extremamente estressante no trampo justo naquele dia; podia haver alguma preocupação de ordem pessoal ou familiar o afligindo ou; ele estava em um daqueles dias cinzentos em que, sem qualquer motivo aparente, a bad bate e nos leva lá para o fundo do poço (o que justificaria em muito a necessidade de carinho e afeto). Enfim, apesar de todo o discurso fodástico no estilo “sou desapegado, defendo a liberalidade sexual, não me prendo, quero tocar o terror nos bloquinhox”, ele pode ser um exemplar típico da espécime mais moderna dos indivíduos detentores dos cromossomos X e Y, que passam por questões muito mais profundas, complexas e filosóficas do que simplesmente “botar o pau pra dentro” (por mais que essa máxima nunca deixe de ser uma possibilidade latente, literalmente);
    Continua…

  14. 3) o que causa estranheza é que as atitudes dele nesse segundo encontro não coadunam com o conceito de vida que ele afirma levar. Ele deu vários sinais de estar realmente interessado em ti. Quem quer somente sexo, em sua mais pura e natural forma, não se preocupa em analisar tão minuciosamente a casa do outro (no máximo a cama e o banheiro); não gasta o tempo em que podia estar “agindo” fazendo análises vagas e imprecisas sobre como você é e deixa de ser; tampouco perde tempo preferindo assistir um filme até ao final (que como você bem disse, poderia ser visto e revisto quando ele bem entendesse), muito menos adormece no colo da sua “presa”, sem contar que se ele realmente agisse conforme prega, quanto mais “taradinha” você fosse, melhor (…)

    Enfim… alguma coisa “bateu” ali nele;

    4) De igual modo, percebe-se que você também se interessou nele, além da motivação obviamente carnal. Em diversas passagens você demonstra preocupação com que ele possa vir a pensar, além de ter ficado extremamente incomodada com a passividade dele naquele dia, a ponto de mandar mais de meia centena de mensagens “prazamigas”. Sem contar que aos leitores você descreveu o sexo daquele dia como morno, mas disse pra amiga number 1 que havia sido “fantástico”, numa tentativa clara de não queimar de cara o boy que quem sabe você viria (ou virá?) a apresentar a ela. E é justamente nesse ponto que você conseguiu transpor a outrora “curiosidade”, que até então aguçava os leitores, para o campo da “torcida”. Certamente os mais idealizadores já devem estar torcendo pelo happy end entre a jovem talentosa, independente, autossuficiente cobiçada sexualmente, com o dito solteiro convicto (…)

  15. Por fim, finalmente:

    (…) que prefere sair curtir bloquinhox e pegar geral no carnaval do que um programa a dois (ok, ok, “sou do romance” rsrs);

    5) Relato aleatório e apaixonado! CENSURADO!!

    5.1) por fim, meu… tá demais! Continue!! E bora trabalhar nesse segundo livro!!! Você consegue nos prender a histórias de uma forma muito especial, e isso é raro. 👏🏻👏🏻👏🏻

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.