Publicado em Aventuras

Primeira noite em Miami

Vamos começar com um pequeno teaser da minha noite, nesse vídeo que postei no Instagram no dia seguinte:

Enquanto eu tomava banho mentalizando boas energias, ao fechar o chuveiro, vi uma pequena poça nos meus pés. Aff. 🙄 Banheira entupida ninguém merece. Me sequei e quando chegou a vez de secar os meus cabelos, o secador do hotel também não funcionava. Dai-me paciência. 🤦🏼‍♀️ Ainda bem que com jeitinho consegui fazer aquele treco com mau contato funcionar. 🙏🏻

Me produzi lindamente e fiquei na dúvida de qual balada iria. Pelas minhas pesquisas estava entre a LIV ou Set NightClub. Decidi pela Set (a princípio). Chamei o Uber e lá fui eu rumo as badalações de Miami. Uhuu!! 🎉

Eu nem queria conversar com o motorista para que ele não percebesse que eu era de fora (sei lá, as vezes as pessoas se aproveitam quando vê que você não é da região), mas ele começou a puxar assunto e eu não tive como não ser educada. Conversamos o trajeto inteiro praticamente. Disse que eu era muito corajosa de fazer uma viagem daquelas sozinha e ao final me deu seu cartão de visita para o caso de eu precisar de “alguma coisa” rs.

Me deixou no endereço da balada, mas antes aproveitei para conhecer a região e encontrei um restaurante incrível, chamado: Tapélia:

Não consegui estudar o cardápio, pois (obviamente) estava todo em inglês e me daria muito trabalho. Então pedi a garçonete uma sugestão de prato que houvesse camarão (mais chance de não ter erro) e ela trouxe um MA-RA-VI-LHO-SO! Mandou bem! 😋

Não me lembrava de ter comido um arroz tão gostoso como aquele!! Para beber, resolvi fazer diferente (sempre peço caipirinha) e me arrisquei numa bebida que eu nunca tinha tomado. Lembrei da cena do filme: “De Repente 30” em que Jenna Rink pede Piña Colada:

Pedi o mesmo e não me decepcionei!! 🤩 Depois disso, durante toda a minha estada em Miami, sempre que precisava escolher um drink, a resposta já estava na ponta da língua! 😁

Nesse restaurante tocava música e de repente, vocês não vão acreditar no que começou a tocar!! Fiquei impressionada!

Mc Kevinho tocando num restaurante bacana em Miami. Por essa eu não esperava! 😯😅

Enfim paguei pela minha refeição e saí em busca de um lugar que vendesse adaptador de tomada. Entrei num mercadinho qualquer e felizmente encontrei o que eu precisava. O problema é que aquele pequeno cubinho não coube na minha bolsinha de balada e passei a noite inteira segurando aquilo na mão. 😂 O que não nos sujeitamos pela necessidade? Kkkkk.

O tal mercadinho ficava quase ao lado da Set NightClub, então, com o adaptador em mãos, segui para lá. Mal parei na fila e já fui elogiada pela menina que estava na minha frente. Disse que eu era “pretty” e retribui dizendo que ela também, apesar de nem tê-la olhado direito rs.

Assim que me situei naquela fila, fui me dando conta que o lugar parecia meio caído. Começando por essa fachada de puteiro (foto capa do post). Nada contra né, quem sou eu? 😅 Mas queria ir numa balada com cara de balada e aquela não me impressionou. Depois reparei nas meninas que estavam na fila e também não eram tão atraentes. Me senti arrumada demais para aquele lugar e resolvi ir para a LIV. Chamei um novo Uber e lá fui eu. 💃🏼

De fato a LIV era outro nível. Você percebia isso de longe. Congestionamento de carros, ficava num hotel, gente mais bonita e arrumada, fui para o lugar certo!

Ao entrar no hall me encaminhei para uma fila que não andava nunca, até eu descobrir que não era bem uma fila. Chegamos na parte que narrei no vídeo do início do post. Após falar com dois seguranças que me esnobaram completamente, comecei a ficar desanimada. Modéstia a parte eu sabia que estava atraente e não entendi toda aquela rejeição. Usava um vestidinho curto preto de paetês, sandália de salto preta, estava maquiada… e eu achando que mulher bonita não precisava de esforço para entrar em balada. Será que a culpa tinha sido dos meus óculos e rabo de cavalo??

A Minha última cartada foi tentar entrar com esse grupo de meninas que vocês me ouviram narrar no vídeo. Aí sim deu certo, pois elas tinham um contato lá dentro. Passei pelo segurança que não me deixou entrar e quase mandei beijinho rs.

Enfim estava dentro!!! 🙏🏻  Hora de conferir se a balada era tudo aquilo mesmo.

Simmmmmm. O lugar era incrível e estava LOTADÉRRIMO! As meninas se acomodaram na parte de cima, sentamos num estofado e pediram bebida. Me convidaram a ficar com elas e como eu estava sozinha, aceitei de bom grado. Fiquei um tempão papeando com uma das que falavam português e foi muito gostoso estar ali.

Tocaram músicas que eu conhecia, mas que eu não sabia cantar a letra, então apenas observei o povo empolgado cantando. 🎶 Infelizmente não consegui ficar bêbada com a bebida que elas compraram (suco de laranja com vodka, será?) e quando tentei comprar algo para mim, a menina do bar não me deu atenção, o que me fez pegar birra e desistir de pedir. O jeito foi ficar caretona mesmo e eu careta em balada não rendo.

Certa hora descemos para dançar na pista e foi meio péssimo. O lugar estava tão lotado que não dava nem para se mexer direito e mesmo assim elas dançavam sorrindo empolgadas. Como alguém conseguia sorrir, dançando naquele aperto?? Tentei disfarçar a minha insatisfação para não parecer chata, mas que tava uó dançar ali estava.

De repente um cara horroroso parou atrás de mim e tive que me policiar para não roçar nele. Certa altura, esse mesmo rapaz se aproximou do meu ouvido e disse: “I like your glasses”. Coitado, aposto que esperou desenrolar alguma coisa comigo depois desse elogio, mas apenas agradeci e continuei olhando para a frente. 😂

Cheguei no meu limite de ficar sendo espremida e inventei que queria ir no banheiro. Apenas a que falava português me acompanhou, dizendo também estar aliviada de sair dali. No banheiro apenas retoquei o batom e voltamos para os estofados.

Finalmente começou a tocar uma música que eu sabia cantar!!! Pulei do assento e por três minutos parecia que eu tinha bebido rs.

Depois fui informada que viram a Kim Kardashian lá!! Oi??? A Kim??? Não era possível! Como sou igual São Tomé que só acredita vendo, exigi pela foto que a menina disse que tinha tirado. Choquei! Era a Kim mesmo! Ela nos levou até o ponto em que dava para ver a Kim na parte de baixo e lá fui eu dar uma de paparazzo também rs. (Foto no primeiro vídeo do post.)

Por volta das três da manhã, meus pés estavam doendo demais e me preocupei em descansar para o show da Taylor que ocorreria mais tarde. A maioria das meninas já estavam bêbadas e justo uma das bêbadas seria a motorista. 😅 Troquei insta com a que mais conversei e me despedi, antes que meu celular descarregasse e eu não conseguisse chamar o Uber.

Daí você me pergunta: “E não beijou ninguém Sara?”, sabe que até eu fiquei impressionada com o meu desapego? 🤔 Sei lá, estava numa vibe de curtir o passeio apenas. Voltei para o hotel podre de cansada, nem que eu quisesse teria ânimo para ficar com alguém. 😅

Publicado em Aventuras

Primeiro dia em Miami

Enfim chegou o grande dia! 😍

E eu sequer dormi na véspera da viagem. Tanto pela empolgação, como para ficar bastante cansada e dormir durante toda a duração do voo, se possível. No aeroporto não consegui ficar tão empolgada como eu imaginei que estaria, mas atribuí ao cansaço de estar virada e a gastrite que teimou em se manifestar devido a ansiedade.

Comi um croissant de presunto e queijo com chocolate quente no Starbucks e o tempo de espera até o horário do embarque foi um verdadeiro martírio. Continuei a ler o livro “Subindo Pelas Paredes” da Alice Clayton e de repente senti muito, mas muito sono ao ponto de “pescar” várias vezes. Sabe quando as pessoas falam que estão tão cansadas ao ponto de dormirem acordadas? Eu não acreditava nisso, mas era realmente o que estava acontecendo comigo. De repente meu corpo estremecia como se eu tivesse pegado num sono rápido, sem eu sequer ter fechado os olhos direito. Foi muito estranho rsrs. Virar a noite acordada não tinha sido uma boa ideia, afinal.

Em pouco mais de uma hora iniciou o embarque e tive que esperar chamarem o meu grupo, que demorou um pouco, pois era o 7. Não via a hora de sentar dentro do avião e poder dormir. Enfim chegou a minha vez. Momentos de emoção! De repente meu sono passou, dando lugar a um misto de alegria e curiosidade. Quando já estava dentro do avião, esperando na fila para seguir para a minha poltrona, coloquei meu fone de ouvido na música “End Game” da Taylor Swift e de repente o brilho da viagem voltou, parecendo que eu estava dentro de um clipe. 

Me acomodei numa fileira de 4 assentos que não havia janela. Minha poltrona era corredor e na outra ponta sentou um casal de japoneses. Fiquei empolgada esperando que alguém interessante sentasse do meu lado, mas adivinhem? Ninguém mais apareceu! Acho que a pessoa perdeu o voo rs. 

Continuei ouvindo as músicas da Taylor que se seguiriam, enquanto observava o restante dos passageiros se acomodarem em seus lugares e o que senti nesse meio tempo foi só emoção! ❤️ Me emocionava estar viajando sozinha, sem precisar de ninguém e depender apenas de mim mesma; me emocionava estar indo para o país que eu sempre sonhei em conhecer e mais ainda ter o show da Taylor como evento principal. Sempre quis ir num show dela e lamentava demais saber que ela nunca viria, pois a empresa que organiza seus shows, não trabalha com o Brasil.

O ar condicionado estava tão forte que até ventava no meu cabelo. Gente como detesto sentir frio!! Aproveitei que não sentou ninguém do meu lado e depois que o avião decolou, afanei o cobertor do vizinho. 😬 Cobertor era modo de dizer né, aquilo estava mais para mantinha flanelada rs. Depois desliguei a música para conseguir pegar no sono e deu super certo. Cochilei e quando acordei estavam servindo o almoço. “Lunch or bife?” Ouvi a comissária perguntar. Fiquei atônita do que seria “lunch”, pois até onde eu sei essa palavra em inglês significa almoço. Estaria ela então dizendo: “Almoço ou bife”? 🤔 Ainda sonolenta, só respondi: “Yes” e ela entendeu que era bife. Tá ótimo, era isso mesmo que eu queria. 😁

Gostosinho, para uma comida de avião estava ótimo. Depois tratei de voltar a dormir, pois queria chegar em Miami super descansada. Não que isso fosse plenamente possível, pois dormir em avião é muito desconfortável rs, mas um cochilo aqui e ali ajudaram. Tivemos duas refeições durante o voo, o almoço e pouco antes de chegarmos, café da tarde:

Após a segunda refeição permaneci acordada e assisti: “A Ilha dos Cães” na tela da poltrona. Legalzinho mas não deu para assistir até o fim. Chegou o momento do pouso. Ai que emoção!

Novamente coloquei meu fone de ouvido (gosto de trilhas sonoras rs), dessa vez na música “Art Deco” da Lana Del Rey, em homenagem a um lugar em Miami com esse mesmo nome, próximo de Miami Beach, que eu iria conhecer. 🤗

Saindo do avião, super emocionada, percebi que todos seguiam para uma fila de totem. Uma fila gigantesca responsável por congelar, por alguns minutos, a minha emoção de estar ali. Quem fica feliz enfrentando uma fila? Rsrs. Perguntei a uma senhora atrás de mim sobre o que se referia e ela explicou que era para preencher o formulário de imigração.

Tive um pouco de dificuldades quando chegou a minha vez e um rapaz muito simpático me ajudou. Daí fomos conversando até a outra fila de passar pela Polícia Federal. Ele era brasileiro, mas morava em Montreal. Estava no Brasil visitando a família em Curitiba, fazia seis anos que não via seus pais. Tinha duas filhas que naquele momento estavam na Disney com a mãe (era separado) e sua atual namorada morava em Montreal também. Seu nome era Christian e tinha 39 anos. Por que lhes contei tudo isso? Pra vocês verem o tanto que se pode descobrir de uma pessoa em poucos minutos de fila rs. Nos despedimos logo mais a frente, quando ele foi pegar o voo de conexão e eu me direcionei a saída do aeroporto. Muito legal ele, espero que tenha dado tudo certo na sua viagem. 😊

Peguei um táxi para o hotel (decidi testar o Uber só mais tarde, fora do aeroporto) e o percurso não foi muito longo, pois peguei um com uma localização conveniente entre o aeroporto e o estádio em que ocorreria o show (Hard Rock Stadium). O taxista aparentemente era haitiano e nos comunicamos um pouco. Ele perguntou de onde eu era e disse que eu era muito branca rsrs. Me deixou seu contato para outras corridas que eu pudesse precisar fazer, mas depois que descobri que o Uber funcionava normalmente lá fora, optei por pagar mais barato rs.

Cheguei no hotel (não direi o nome pois pretendo avaliá-lo no Tripadvisor depois 😉) e lá vou eu fazer o check-in. Me hospedaram na suíte 522. Enquanto estava na recepção não deu para reparar direito no lugar, estava muito entusiasmada, mas, quando me encaminhei para o quarto, olhando aquele corredor de carpete horroroso, fui me dando conta do buraco onde me enfiei rs. De fato eu não tinha visto suas qualificações na internet, olhei apenas o preço, a localização para o show da Taylor e que tinha 3 estrelas. Achei que 3 estrelas seria um hotel razoável, mas não era rs. Hoje olhando no Tripadvisor, ele está com 36 avaliações para horrível, 26 para ruim, 35 para razoável, 16 para muito bom e 2 para excelente. Quem foram esses doidos que o avaliaram como “Muito Bom” e “Excelente”???? 😅😅😅

Admito que fiquei um pouco desanimada ao me deparar com aquele muquifo, mas procurei focar na viagem, até porque mal ficaria no hotel. Resolvi ligar minha caixinha de som para espantar as más energias, mas aí me dei conta que não tinha levado o adaptador de tomada. 🤦🏼‍♀️  Nem ouvir minhas músicas seria possível, pois a minha caixinha estava descarregada, assim como o meu celular que também estava morrendo e precisaria economizar o máximo de bateria possível. Droga.

O jeito foi ligar a TV e ficar ouvindo a programação em inglês (estava passando um filme antigo). Fui me banhar com o pensamento positivo que eu não deixaria esses detalhes estragarem a minha viagem. Sairia para jantar, encontraria um lugar que vendesse o tal adaptador e depois seguiria para a balada. Esses eram os planos…

Será que eu consegui??

Aguardem os próximos capítulos…!

Publicado em Aventuras

Viajando sozinha para os States

Oi oi oi! Já estou de volta e como previra cheia de histórias para contar!! 😏

Sabe, eu fiquei bastante em dúvida se deveria postar contando sobre essa viagem, pois não foi uma viagem a trabalho, mas sim a lazer e também por não saber ao certo, qual o grau do interesse de vocês para assuntos que não envolvam sexo aqui no blog. 🤔

Mas aí pensei: poxa, essa viagem foi uma conquista da Sara. Sem a minha renda com os programas, nem a ajuda que tive de um cliente para tirar o visto, dificilmente eu conseguiria realizar o meu sonho de conhecer os Estados Unidos tão cedo, concordam? Então por que não compartilhar esse momento com vocês também? 😃

Aliás, antes de qualquer coisa gostaria de agradecer imensamente ao meu cliente 309 (O Avaliador) por ter me ajudado a tirar o visto!!! ❤️ Apesar de no último encontro ele ter dito que não sairíamos mais, há algumas semanas me fez o convite para uma viagem internacional e graças a esse convite (que talvez não vá se consumar), o processo do meu visto deu certo!

Desde que me conheço por gente, sempre tive o sonho de princesa de viajar para os Estados Unidos, mas com a minha atual condição (profissional autônoma sem vínculo empregatício), jamais conseguiria o visto, sendo eu uma potencial imigrante ilegal rs. Então arquivei esse sonho, sem imaginar que de uma hora para outra se tornaria possível!😍

O processo de aprovação foi mais fácil do que eu esperava, mas também, por que negariam o visto a uma mulher que está indo acompanhar seu “namorado” numa viagem de trabalho? 😏 E apesar da minha viagem com o Avaliador não ser mais uma coisa certa, ainda assim ele me deu um presente gigantesco: a chance de viajar para o lugar dos meus sonhos! ✨

Essa viagem não foi nada planejada. Viajei numa sexta e comprei as passagens na terça (coisa de ariano que age por impulso rs). Aliás, aqui entra um segundo agradecimento: dessa vez ao meu querido amigo D! ❤️ Pois se não fosse pelo seu incentivo e encorajamento, eu não sei se teria me permitido a uma loucura dessas nesse momento rsrs. 

Foi durante uma conversa descompromissada, na cozinha da minha casa, que tudo desenrolou. Eu estava lhe contando da conquista do visto graças a um cliente meu e comentei, assim por acaso, sobre o show da Taylor Swift, cuja cantora sou muito fã e ela nunca veio (nem há pretensões de vir) para o Brasil. 

– Bicha, agora você pode ir para os Estados Unidos a hora que você quiser!! – Constatou ele empolgado.

– Simmmmm!! 😍 Tava até pensando em ir no show da Taylor agora que ela está em turnê. Esses dias vi que ela fez um show exatamente onde eu ia com o cliente!

– Vamos ver os lugares que ela vai fazer show. – Ele se propôs enquanto eu continuava fazendo as minhas coisas (lavando a louça mais precisamente).

Até que ele gritou:

– BICHA ELA VAI FAZER UM SHOW EM MIAMI ESSE SÁBADO!!!

– Sério?? 😱 Nossa mas sábado está muito em cima! Vou ver algum dia do mês que vem.

– Que mês que vem viado, vai agora que ela estará em Miami!! – Sim, ele me chama de viado rs.

– Você tá louco? Agora tá muito em cima, deve estar caríssimo! 💸

– Vamos orçar as passagens e hotel pra ver! 

Ele se empenhou de uma forma, como se ele mesmo que fosse viajar. 😂 Em um orçamento preliminar, conseguimos as passagens e hotel num pacote da Decolar por apenas R$3.370 para uma viagem dali a três dias. Viajando com a American Airlines (a princípio ida e volta por Miami), me hospedando num hotelzinho 3 estrelas. Estava mesmo muito barato, se tratando de uma viagem internacional tão em cima da hora. 

– Ai meu Deus, será?? – Comecei a ficar empolgada, me imaginando no exterior no show da minha cantora predileta. 💭

Daí fui ver o valor do ingresso, o melhor lugar possível, é claro, pois queria vê-la de perto. Socorro, que ingresso caro era aquele?! Kkkk. U$469 (em torno de R$1.800). A Taylor me sairia mais cara que o resto. 😅

“Quer saber, eu vou!” Pensei decidida. De que adianta ser uma acompanhante de luxo se não puder me dar esses luxos de vez em quando? 🤪 

Então como podem ver foi tudo muito rápido. E devo dizer: foi uma das melhores decisões que já fiz em minha vida! ❤️

Além de ser a minha primeira vez no país dos meus sonhos e primeira vez no show da minha cantora preferida (tão fã que já gravei dois vídeos sensuais com as músicas dela: esse e este aqui), também teria um desafio extra: seria a minha primeira viagem em que iríamos somente eu e Deus! 😯 Já fiz viagens com namorado, clientes, amigos, familiares, mas sozinha desse jeito (ainda mais para outro país) nunca! 😱

Claro que deu aquele medinho de bater uma solidão ou de a viagem não ser tão incrível assim pela ausência de alguém para curtir comigo, mas, logo esse medo passou. Viajar só quando você está bem consigo mesmo é uma delícia.

Quando coloquei meus pés para fora do hotel na primeira noite rumo às badalações de Miami, percebi que eu só dependia de mim mesma para aquela viagem ser inesquecível (como realmente foi). ✨

Simmm, eu estava chocada mas também mega focada. Ainda não tinha caído a ficha do que eu viveria nos próximos dias… 🇺🇸

Publicado em Aventuras

Retrospectiva Viagem com o Organizado!

Olá!!

Chegamos ao período de 28/01 à 04/02 nos relatos, que foi quando eu fiz aquele Cruzeiro magnífico com o meu querido Organizado! 🤗 E para quem não acompanhou, nem leu os relatos subsequentes ao meu retorno, contando sobre essa incrível experiência, trago os links de cada dia, relembrando essa viagem maravilhosa!! 😍

1° Dia

Quando a aventura começou! Que delícia relembrar esse momento! Cliquem no hiperlink (“1° Dia”) em cima da foto, e confiram a descrição completa desse dia! 😊

2° Dia

Não senti enjoo, nem tontura ou algum tipo de fobia por estar no mar sem ter para onde correr. Pelo contrário. Amei a experiência cada vez mais!

3° Dia

Pela primeira vez pisei no chão de outro país! Ai que emoção! Punta Del Este nunca sairá da minha lembrança! 💭

4° Dia

Tango Porteño Buenos Aires Cruzeiro Organizado

Aquele Tango maravilhoso que me fez esquecer da vida durante a apresentação. 💃🏼

5° Dia

O passeio de barco em Buenos Aires… 🚤

6° Dia

Último dia em solo estrangeiro! Ameeeei conhecer e fazer compras em Montevideo!! ✨

7° Dia

Aquela última noite conflituosa… 🤯

8° Dia

E acabou-se o que era bom. 😫

Mais uma vez, agradeço demais ao Organizado por ter me escolhido para esse passeio incrível a dois! ❤ Mesmo sendo a trabalho, foi muito especial para mim! Primeira viagem longa com cliente, primeiro Cruzeiro, primeira vez no exterior. Jamais irei esquecer!! 💕

Agora só me resta uma dúvida: Quem será o próximo cavalheiro a passar tantos dias assim comigo? 🤔😏

 

Publicado em Aventuras

Cruzeiro com o Organizado – 8° Dia!

Acordei com o despertador tocando e vi que ele não estava abraçado a mim, como nos outros dias. Coloquei o celular em modo “soneca”, e então nos abraçamos, sepultando de vez nosso mal-entendido da noite anterior. Não sei ao certo quantas vezes o despertador precisou apitar ao final de cada soneca até que conseguíssemos sair da cama, mas foram várias, acordar cedo é sempre difícil.

Terminamos de juntar nossas coisas, revisamos se não esquecemos nada, fechamos nossas malas de mão e saímos do quarto às 08:30 pontualmente. Tomamos o café da manhã no bandejão mesmo, já que no outro restaurante teríamos que ir muito mais cedo e priorizamos nosso descanso.

Aquele lugar estava um inferno de lotado, acabando com o restinho de glamour da viagem rs. Só consegui um único lugar disponível (exatamente apenas uma cadeira), numa mesa com outras pessoas. E como o Organizado precisou buscar uma garrafa de licor que ele havia comprado (só liberavam no último dia), fui me adiantando e comendo sozinha, para que quando ele voltasse, eu pudesse ceder a minha cadeira (como cedi).

Já de volta, enquanto ele comia, a mesa de trás liberou, e agilizei para que trocássemos para ela. A tal mesa, assim como a que estávamos antes, era de seis lugares. Pensei em usarmos quatro (estávamos com muitas sacolas, além das malas de mão de cada um) e deixar os dois lugares da ponta vagos para outras pessoas, assim como a família no qual estávamos dividindo a mesa anteriormente também fez conosco.

Porém, duas mulheres afobadas, não entendendo a logística dos lugares, vieram uns dois segundos depois da gente para essa mesma mesa, e sem pedir nenhuma licença, acomodaram suas coisas bem no “nosso lado” da mesa, sem se tocar que sobrariam dois lugares na ponta. Fiquei possessa com aquilo. 😒

Comecei a resmungar em voz alta o quanto me impressionava a falta de educação das pessoas, e apesar de ter a certeza que uma delas estava me ouvindo (a outra tinha ido montar o seu café da manhã), a mesma fez cara de paisagem, fingindo não ser com ela.

Quando a outra retornou, e elas viram que até elas ficariam mal acomodadas do jeito que sentaram, perguntaram se não gostaríamos de inverter os lugares, para que assim elas pudessem sentar uma de frente para a outra, utilizando os dois lugares da ponta. Fiz questão de cutucar: “Mas era isso mesmo que iríamos fazer, mas vocês chegaram jogando suas coisas…” Falei mesmo. 😒

Ao final ainda começaram a puxar assunto conosco, coisa que detestei, pois como já não tinha ido com a cara delas pela atitude inicial, não teria santo que me fizesse simpatizar agora. As ignorei, mas o Organizado, educado como é, lhes deu atenção. Depois ralhei com ele. Deveria tê-las deixado no vácuo assim como eu fiz! 😤

Nosso horário de desembarque se aproximava, e fomos para o ponto de encontro especificado, pois seríamos uns dos primeiros a desembarcar (mais um benefício pela nossa experiência ser “Áurea”.  😌

Tivemos que pegar um ônibus para que nos levasse até o saguão do porto de Santos, o que foi mesmo desafiador com o tanto de sacola (mais a mala) que tínhamos em mãos. Sem contar que eu tinha que ficar arrastando o Organizado no meu calcanhar, como se fosse um filho desgarrado, pois diversas vezes que precisávamos pegar alguma fila (para sair do navio, para entrar no ônibus…), ele ficava para trás. Eu precisava berrar para que todos ouvissem que ele estava comigo, para não acharem que ele estava cortando fila, quando na verdade era o contrário. As pessoas que entravam na sua frente e ele deixava. 😒 Aquela falta de agilidade me incomodava às vezes rs.

Finalmente chegamos no saguão, por volta das 10:20 da manhã. Como poucas pessoas haviam desembarcado, foi relativamente fácil encontrar nossas malas (o deixei paradinho com as nossas coisas num canto, e saí em busca das malas grandes). Depois seguimos para o outro lado do saguão, onde aguardamos uns bons minutos pelos seus pais.

E aqui encerro o relato dessa viagem fantástica em ótima companhia!!! Não vou dizer que o que é bom dura pouco, mas sim que dura o tempo suficiente para se tornar inesquecível. ❤

Não tenho palavras para agradecer tanto carinho, cuidado e dedicação. Mesmo sendo uma viagem “a trabalho” me senti como se realmente estivesse de férias rsrs. Agradeço muito a Deus por sempre colocar pessoas maravilhosas no meu caminho. E obrigada você, Organizado, pela paciência, por sua amizade e por me querer tão bem. Você merece tudo que há de mais belo nesse mundo. ❤

Publicado em Aventuras

Cruzeiro com o Organizado – 7° Dia!

Ahhh que delícia acordar sem despertador!! 😍 Nosso único compromisso com hora marcada foi o almoço no restaurante tailandês ao meio dia, então acordamos com calma e deu tempo até para uma transa matinal. 😏

Comecei a atiçá-lo, me deitando por cima do seu corpo, e com poucos beijos encapamos e já fui sentando. 😈 Depois invertemos e ele veio por cima, ao que eu comecei a me tocar e gozei. Ele continuou estocando, mas não conseguiu chegar lá, e como já estávamos perto do horário do almoço, deixamos para continuar depois.

Nosso almoço foi longo. Ficamos por volta de 2h no restaurante, comendo e conversando calmamente. Nos serviram três tipos de pratos: japonês, chinês e tailandês (não necessariamente nessa ordem), mais a sobremesa.

Saindo de lá, passamos na galeria de fotos (pegamos mais algumas) e voltamos para o quarto, cochilar um pouco (ainda não tinha me recuperado dos últimos dias). E como acabei dormindo antes dele, quando acordei, fiquei na dúvida se ele também tinha descansado. Sua resposta foi engraçada: “Dormi, mas acordei três vezes com o meu próprio ronco”.  😂😂😂

Aproveitamos à tarde livre para irmos ao “cinema”, e no caminho registramos nossa última tarde no navio:

O cinema nada mais era que uma sala 4D, parecida com aquelas do Hopi Hari. Vimos dois vídeos similares de montanha russa com duração de sete minutos (muito legal 😎) e de lá seguimos para a jacuzzi, onde ficamos até próximo do horário do bingo. Ao voltarmos para o quarto, já nos banhamos e fomos para o auditório, onde ocorreria o sorteio.

O primeiro prêmio seria de US$ 25.000 para quem preenchesse a cartela nas primeiras 40 bolinhas sorteadas; Caso ninguém ganhasse, o prêmio cairia para US$ 10.000 se alguém preenchesse nas primeiras 50 bolinhas; e se ainda assim ninguém ganhasse nessas duas oportunidades (como ninguém ganhou), o prêmio garantido seria uma viagem de cruzeiro para quem preenchesse a cartela primeiro.

Eu costumo ter sorte em bingos de festa junina e fui com grandes expectativas, mas seria mesmo bom demais para ser verdade ganhar aquele sorteio haha. Adivinha por quantos números que não ganhamos?? Apenas três! 😪 – E olha que estávamos com seis cartelas cada um!! – Por três míseros números, tanto eu, quanto o Organizado, não ganhamos nada (imagine a frustração de quem ficou por um?! Rs). O vencedor foi um rapaz, e subi ao palco como voluntária para vistoriar a conferência da cartela dele  (minutinhos de fama, da licença? 😌). Fiquei lado a lado daquele apresentador careca famosão. 😏

De lá fomos jantar, pegando o segundo turno (22h) do restaurante. Nosso último jantar a bordo. Que emoção! 🤧 Apesar do clima de despedida, não foi um jantar triste (pelo menos não para mim), pois tínhamos aproveitado ao máximo, sem contar que lá no fundo eu também estava com saudade dos meus gatos, das minhas coisas, enfim, da minha vida em terra. Para mim aquele momento representava o último capítulo de uma novela de sucesso.

Tínhamos combinado de dar caixinha para três pessoas. A primeira foi o nosso camareiro. – Uma vez topamos com ele arrumando o nosso quarto, e foi muito legal ouvi-lo dizer: “Ahh finalmente conheci vocês”, uma frase simples, mas que me fez sentir querida. E na hora lembrei do vibrador rosa que ele deveria ter visto pelo quarto enquanto arrumava rs. –

A segunda pessoa, foi a recepcionista do restaurante, Marcela Rolak. – Ela sempre era muito fofa com a gente, nos atendia com aquele sorrisão e conseguia as melhores mesas rs. – Quando lhe entreguei a gorjeta num envelope, ela ficou toda feliz, mesmo sem saber qual era a quantia. Disse não ser comum esse tipo de situação (em que lhe dão caixinha), e que na verdade quase apanha dos hóspedes, pois não é sempre que consegue mesas disponíveis. Muito simpática e alegre. Até nos abraçamos. 😍

E a terceira pessoa, o garçom que nos ofertou a lagosta durante determinado jantar. – Topamos com ele certa vez no bandejão, e foi muito prestativo, pegando uma bebida para nós, num restaurante em que nós que teríamos que nos virar. A sua boa vontade nos conquistou, além da sua simpatia, pois sempre que nos encontrava pelo navio, perguntava se tínhamos gostado da lagosta rs. Rapaz meigo e esforçado. – Quando lhe entregamos a gorjeta, ele ficou todo agradecido e ruborizado, dizendo que nos atendeu sem esperar nada em troca. Sabíamos disso e por isso mesmo era tão merecido. Mateus Caruso seu nome, e é brasileiro.

Com exceção do camareiro, demos essas gorjetas durante esse jantar, o que deixou o clima ainda mais harmonioso e agradável. Era muito bom fazer boas ações. 🤗

Após sairmos do restaurante, novamente tentamos curtir o casino, mas outra vez estava lotado (até mais do que na noite anterior), parecia que todo mundo deixou para jogar no último dia rs.

Voltamos para o quarto, e refletimos o que faríamos naquele momento. Tínhamos duas opções: Dar um pulinho na festa a fantasia, ou transarmos a saideira, já que na manhã seguinte teríamos que entregar o quarto às 08:30. Apesar de adorar uma festa, me empolguei pela segunda opção. Estava um pouco esgotada dos últimos dias, e naquele momento era muito mais convidativo a nossa banheira privativa e a cama.

Mas mais do que uma transa, o Organizado queria que experimentássemos mais um de seus brinquedinhos. Dessa vez era um vibrador interno acionado por controle remoto. A ideia seria introduzi-lo em mim (assim como com as bolinhas tailandesas) e quando estivéssemos em público (sairíamos para dar uma volta), ele ativaria a vibração.

Como já dito no relato do terceiro dia, em que experimentamos as bolinhas tailandesas, brinquedos de introduzir não me agradam. Informação importante, que infelizmente ele não sabia. Achei que ele perceberia a minha falta de interesse em todas as vezes que ele oferecia e eu jogava para depois, mas isso não aconteceu, e lá estava eu sem ter para onde correr na nossa última noite. Eu deveria ter dito logo que não curtia, mas fiquei sem graça pois ele estava nitidamente empolgado.

Respirei fundo e procurei entrar no clima. Depois que estava dentro de mim, ao me levantar percebi que conforme eu andasse aquilo iria acabar saindo, e me agarrei a essa desculpa para tentar convencê-lo a abortarmos a missão. Sua animação estava inabalável e deu a ideia que eu colocasse uma calça (eu estava de vestido) para prender mais o brinquedinho. Falei que não achava que daria certo e não me prontifiquei a tentar. Eu argumentava de lá e ele de cá, e certa altura nesse vai num vai, ele explodiu! Fiquei até assustada. 😟

Ele reclamou que fazia de tudo para me agradar e quando era o inverso eu não estava nem aí. Fiquei abismada olhando para ele sem dizer uma palavra. Até demorou para cair a ficha que ele estava bravo comigo. Foi muito estranho vê-lo daquele jeito. Daí ele fez uma coisa que eu não gostei nada e jogou na minha cara a questão financeira, perguntando se eu fazia ideia do quanto ele pagou naquele brinquedinho para usarmos no cruzeiro. Nessa hora não me contive e rebati:

– Você vai me desculpar, mas eu não te pedi para comprar nada! E outra, você comprou sem me consultar, em nenhum momento me perguntou se eu gostava desse tipo de brinquedo.

Nesse momento ele se acalmou e aceitei vestir a calça, mas confesso que por dentro eu já não tinha mais vontade de fazer nada naquela noite. Fui andando na frente e quando chegamos em determinado lugar, ao apertar o botão do controle remoto, sequer ligou, pois naquele meio tempo o vibrador desligou sozinho (precisava estar ligado tanto no controle, como na parte introduzida). Fiquei ainda mais irritada. Todo aquele estresse para chegar na hora e nem dar certo. Óbvio que eu não tentaria de novo, uma vez fora de mim, aquele troço não entraria mais.

Quando voltamos para o quarto, o clima havia se dissipado. Ele se desculpou pelo descontrole e me convidou a curtir a banheira com ele. Eu ainda estava chateada pelo ocorrido e falei que preferia dormir. Daí ele foi para a banheira sozinho e quando retornou eu já estava em sono profundo.

Publicado em Aventuras

Cruzeiro com o Organizado – 6° Dia!

Chegamos em Montevideo!

Outra vez acordamos cedo para um novo passeio, mas surpreendentemente eu estava de ótimo humor! (Já me acostumando a acordar cedo rs.) Gostei bastante do passeio! Não sei se gostei mais por não ser extenso como os outros (duração de apenas três horas), ou se valorizei mais por ser o último e querer aproveitar até o caroço rs.

Tivemos apenas três paradas. Uma de dez minutos para fotos numa praça central (que optamos por não descer do ônibus), outra de cinco minutos em frente ao palácio legislativo e a última e mais demorada, no shopping Punta Carretas. Que shopping maravilhoso!! Comprei várias roupas (numa loja incrível chamada Thomas Trent), cachecol e lingerie. Só não comprei mais porque o tempo era curto e não deu tempo de visitar todas as lojas. 😩

De volta ao navio, agendamos o almoço do dia seguinte num restaurante tailandês, e depois seguimos para o SPA agendar manicure para mim e massagem para nós dois. De lá fomos almoçar e pela primeira vez pegamos fila naquele restaurante chique. O que me deixou mega aflita, pois estava com o tempo contado para ir fazer as unhas logo em seguida e não gosto de fazer nada correndo.

Novamente fomos acomodamos numa mesa com outra família (dessa vez um casal e duas adolescentes), e não fui tão receptiva quando a mulher puxou assunto conosco, já que eu estava mais preocupada em comer logo e correr para o salão rs. Na verdade, eu nem consegui comer direito, pois incrivelmente o garçom estava mais lento nesse dia, e sequer deu tempo de eu comer a sobremesa, já que ele demorou muito para trazê-la.

Lá no salão continuaram as decepções. Fiquei mesmo impressionada em como aquela manicure cubana era tão péssima no que fazia. Não tirou minhas cutículas direito, deixou minhas unhas borradas e ainda tive que pagar 49 dólares por aquele serviço. Fiz a fina e não reclamei de nada, mas por dentro me lamentava pelo péssimo negócio.

Quando voltei para o quarto frustradíssima com as minhas unhas, o Organizado me distraiu com um lindo gesto. Ele havia guardado uma fatia do queijo provolone que o garçom não tinha trazido a tempo para a minha sobremesa (havia pedido seleção de queijos com creme de goiabada), e sabendo que eu tinha adorado esse queijo quando experimentei durante outra refeição, quis me fazer uma surpresa. Fofo!

Quando me deitei ao seu lado, ficamos conversando sobre coisas que aconteceram na minha ausência enquanto ele ainda estava no restaurante, e me contou uma situação muito engraçada rs. Vocês lembram daquela outra família que interagimos neste almoço? Não sei se contei a vocês, mas esbarramos com eles outras vezes durante os dias que se seguiram e sequer nos cumprimentavam! Fingiam que não nos conheciam, depois de eles mesmos terem iniciando a conversa conosco durante o almoço. 🙄

Enfim, o Organizado estava me contando do grande mico que o pai dessa família pagou rsrs. Logo depois que saí às pressas do restaurante, esse homem tropeçou enquanto se encaminhava para a mesa com o prato nas mãos. – Eu comecei a rir tão fervorosamente imaginando a cena, que até fiquei com falta de ar. 🤣🤣🤣 – O Organizado narrou que todas as pessoas próximas fizeram silêncio, já que o tropeço dele roubou a cena no restaurante, e não sabia como o prato não tinha voado no teto. 😅😅😅 Foi um tropeço tão feio que o filho até correu para acudir resgatando o prato das mãos do pai kkkkkk. E a mãe levou a mão ao rosto de tanta vergonha rsrs.

O tropeço lhe rendeu quatro passos largos e desengonçados. Se fosse qualquer outra pessoa eu não teria achado tanta graça, mas achei engraçado por ser especificamente dessa família. Um homem tão metido como ele passando um vexame desses rsrs. Sem contar que eu também tropecei várias vezes durante a viagem (juro, mais de dez vezes) e foi hilário ver alguém me superando (não em quantidade, mas em gravidade rs).

Nessa hora comecei a ficar animada, e de repente as risadas foram substituídas por beijos. 👄 Não perdemos tempo e logo que ficou duro já encapamos. Preliminares pra quê quando se está com muito tesão?! 😏 Primeiro ele veio por cima, estocou um pouco assim e então revezamos. Cavalguei por um tempo e então voltei a deitar. E assim que ele retomou no papai e mamãe, me masturbei, gozei e na sequência ele gozou também. 💦

O celular já estava apitando há alguns minutos para que nos preparássemos para a massagem (como sempre tempo é uma coisa escassa), então começamos a correr, não sobrou tempo para banho, apenas nos limpamos e já nos vestimos.

Dessa vez a massagem foi com pedras lávicas (vulcânicas). As massagistas nos deixaram a vontade para que tirássemos nossas roupas e deitássemos, e quando a massagem começou, me sobressaltei com a quentura daquela pedra. Me queixei que estava muito quente e não pude deixar de notar o risinho das duas massagistas (a que estava me massageando e a outra que estava massageando o Organizado) quando reclamei. Devem ter me achado fresca, mas o que eu posso fazer se minha pele é sensível?! 🤷🏼‍♀️

Ela fingiu fazer algo para esfriar a pedra, e quando recolocou na minha pele continuava quente, mas aguentei. Não queria passar por cliente chata. Aos poucos a massagem foi ficando agradável, e surpreendentemente acabei cochilando. Pena que só durou trinta minutos. 💔

Voltei para o quarto grogue de sono, caí na cama e cochilei até o horário do jantar, com o Organizado me fazendo carinho, velando o meu sono. Próximo das 19h nos banhamos e fomos jantar no primeiro turno.

O traje da noite foi gala novamente. Do jantar seguimos para o teatro. Essa noite teve uma apresentação dos gatos (infantil, não curti muito) e depois um show de talentos com alguns funcionários.

E no intervalo de uma apresentação e outra, compramos algumas cartelas para o bingo! Que ocorreria no dia seguinte e valeria uma nova viagem! 🤗 (Ai meu Deus, será que nós ganhamos?? 😱)

Na saída do teatro passamos no casino, pedi um drink, mas como estava muito cheio ficamos pouco tempo.

Depois demos um pulinho na festa fluoparty (onde até pintaram nossos rostos na entrada), mas novamente não ficamos muito, e decidimos voltar para o quarto descansar. Infelizmente estava acabando nossos dias a bordo.