Cliente 17 – “O Indiano”

Esse cliente iniciou a conversa por torpedo me chamando de Latifah e assim como o francês, algumas de suas frases vinham sem nexo. Achei que fosse engano e respondi apenas para desencargo, dizendo que meu nome era Sara e questionei se ele tinha mandado a mensagem para a pessoa certa. Ele respondeu que sim, que era para mim mesma mas que por engano escrevia o nome errado (sei rs). Mantivemos a conversa, até que ele perguntou se eu falava inglês pois estava tendo que usar o google tradutor, respondi que sim, mas que não era fluente e começamos a trocar mensagens da forma como ele pediu. Conforme conversávamos, avançamos para o whatsapp, e após ver sua foto e tudo mais, agendamos! Havia marcado para sábado a noite, mas precisei desmarcar já que após o pernoite precisei de um descanso! Rsrs. Tanto para a xana como para o corpo inteiro que precisava de uma boa noite de sono! Ele pediu para remarcarmos para o dia seguinte e como quem precisou desmarcar fui eu, e não tinha mais horário durante a semana, não seria legal da minha parte fazê-lo esperar mais uma semana, então conversei com meu namorado, que concedeu me liberar por uma hora e meia, no dia em que eu deveria  ficar com ele e não fazer programas. O indiano pediu que primeiro fôssemos em um barzinho na Augusta. Não me agradou muito, pois já estava prevendo que ficaria tarde para eu voltar para casa, mas acabei cedendo, pois deduzi que como ele não falava português, queria ver antes se conseguiríamos nos comunicar.

Como:

A- Ele só falava inglês;

B- Insistiu no barzinho antes;

C- Era de noite;

D- E eu tenho um péssimo conceito da Índia, que só maltrata as mulheres…

Por precaução pedi ao meu namorado que me acompanhasse. Claro que ele não foi ao meu lado, fui de um lado da rua e ele do outro. Obviamente se o cliente fosse me fazer algum mal, não faria em público, mas é uma segurança muito maior quando você não está totalmente sozinho… Cheguei no barzinho combinado (que era de esquina) e fiquei parada na entrada conforme tínhamos combinado. Ele disse que estaria do lado de fora também, mas eu não estava o localizando, até que vi um cara meio familiar que assim como eu, estava com uma expressão apreensiva mexendo no celular. O encarei por um tempo, pois não tinha total certeza se era ele, já que nas fotos que havia me enviado estava de óculos escuro. Ele me encarou de volta até que se deu por vencido e abriu um sorriso enquanto avançava na minha direção. Nos cumprimentamos e ele perguntou se eu queria entrar no barzinho ou se já queria ir. Não entendi nada, afinal foi ele quem disse que queria ir no barzinho antes!! Hahaha. Mas já que ele me deixou escolher, preferi que fôssemos logo para o hotel, e compreendi que ele sugeriu o bar pois queria me ver antes de irmos de fato para o abate! Rs. Fomos para o hotel andando juntos, começou a chover e acabei dividindo meu guarda-chuva com ele. Quando entramos, eu que tive que falar com o recepcionista e pedir o quarto. Quarto 135. Assim que coloquei minha bolsa na cadeira e ele tirou suas coisas do bolso, já veio me beijando. Correspondi, mas senti um leve cheiro de suor e sugeri gentilmente que tomasse um banho. Ele ficou um pouco envergonhado de se despir, pois antes de tirar a cueca enrolou a toalha na cintura, tirou a cueca por baixo da toalha e só tirou a toalha dentro do box, depois de ligar o chuveiro! Hahaha. Para quê vergonha se o viria nu pouco tempo depois? Haha. Para que ele não ficasse com receio de mim “zanzando” pelo quarto enquanto ele estivesse no banheiro, me prontifiquei a lhe fazer companhia no banheiro, conversando e praticando meu inglês! 😉 Após o banho, nos encaminhamos para a cama, começamos a nos beijar e pude entender sua vergonha, não era muito dotado. Nos beijamos bastante até que eu o chupasse. Ele me chupou também, seios e xana mas não cheguei a gozar. Após as preliminares, colocamos a camisinha e começamos comigo por cima. Metemos por pouco nessa posição até que ele pediu que eu deitasse e ele que veio por cima, durante todo o resto da transa ficamos nessa mesma posição. Demorou um pouco para ele gozar, dava para ver que estava ficando sem fôlego e cansado, mas em nenhum momento pediu que trocássemos de posição novamente, e após bastante exercício físico conseguiu! Êeeee! Rs. Ele foi ao banheiro tirar a camisinha e lavou o pau. Quando voltou ficamos um bom tempo na cama conversando e ele disse que meu inglês era ótimo! *-* Quando achei que não rolaria mais nada, já que o papo estava bom, ele foi se animando de novo e me pediu que o chupasse. O chupei bastante até que ele gozasse novamente, e obviamente teve a consideração de não gozar na minha boca. Após isso já fui tomar banho, pois o tempo estava acabando. Pedi que ele me fizesse companhia no banheiro também (confesso que fiquei com receio dele sair de fininho hahaha) e depois foi sua vez de tomar um novo banho. Descemos juntos até a recepção.

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.