Viagem com o Extenuante!

Ahh como é gostoso viajar. E fazia tempo que eu não viajava com cliente (nem lembro quando foi a última vez 🤔). A princípio ele queria viajar para fora (mais precisamente Estados Unidos) que eu A-D-O-R-A-R-I-A ter aceitado, pois minha viagem para lá no ano passado (sozinha, à passeio) foi bem rápida, mas infelizmente tive que recusar a oferta, pois estamos em período letivo e eu não poderia faltar nas minhas aulas (sim, me formei ano passado, mas já iniciei outra graduação 😬). Então ele escolheu algo mais perto. Gostei que ele foi todo fofo em procurar por algo que eu gostasse, apesar das férias serem dele. Me perguntou que tipo de viagem me cativaria e lhe respondi que gosto de lugares quentes (se tiver água então, melhor ainda!) e ele decidiu pela praia, pesquisando por uma não muito longe para que pudéssemos ir de carro, sendo Guarujá a escolhida. Achei ótimo pois nunca tido ido para lá, na verdade, nenhum de nós dois, então acabou sendo uma novidade para ambos. 😊

A viagem ocorreu naquele feriado de Páscoa (como sempre, estou atrasada com as postagens rs). Me buscou na quinta-feira por volta do meio dia e seguimos de carro para a praia da Enseada. Ele teve muito bom gosto na escolha do hotel, nos hospedamos no Casa Grande Hotel que é quase colado na praia. Só tínhamos que atravessar a rua para chegar nela. 🤗
 
Chegamos um pouco antes do check-in e o quarto não estava pronto, então deixamos as malas na recepção e fomos dar uma volta pela região. Andamos abraçados por alguns metros da extensão da praia, até que ele decidiu pararmos em alguns daqueles restaurantes à beira mar e pedirmos uma porção de camarão ou algo do tipo. Concordei, pois também AMO camarão e acabamos pedindo iscas de peixe junto. 😋 Lá ficamos por um tempão comendo e conversando e só mais tarde voltamos para o hotel. 
 
Falando em hotel, deixa eu falar um pouco sobre o Casa Grande Hotel. Era mesmo um casarão gigantesco. Rústico e aconchegante. Algumas partes das áreas comuns possuíam detalhes estéticos que nos remetiam a um navio. Muito interessante. Nosso quarto ficava no térreo entre muitos corredores. Ficamos na suíte 225 (senão me engano 😬).
 
Casa Grande Hotel, vista da suíte
Obviamente que a primeira coisa que fizemos diante daquela cama gigantesca e extremamente convidativa foi transar. Hehe. Trocamos de roupa para algo mais confortável (percebi que ele ia querer descansar um pouco depois da viagem de carro e de passarmos a tarde à beira mar)  e nos deitamos. Daí foi inevitável não começarmos a nos beijar. E como na maioria das vezes em que saímos, ele desceu para me chupar primeiro, antes que eu fizesse alguma coisa nele. Ahh que delícia ser chupada. Não é possível que existam mulheres que não curtam um mimo desses. 🤤
 
Depois foi a minha vez de retribuir aquele prazer e o chupei até que pedisse pela camisinha (o que levou um certo tempo, pois gostamos de caprichar e aproveitar ao máximo as preliminares 😌). Quando íamos partir para a penetração, perguntei se tudo bem eu usar um brinquedinho que eu havia levado. Ele me deixou completamente à vontade e então, ao pegar a camisinha, aproveitei para pegar também o meu vibradorzinho clitoriano. (Inclusive, já postei foto dele aqui.) Ahh que delícia transar utilizando apetrechos. Ao invés de eu mesma me masturbar, o vibrador faria tudo isso por mim. 🤗
 
Após encapado, o Extenuante veio então por cima de mim, mesclando frango assado com papai e mamãe. Ativei meu vibrador enquanto ele estocava e que sensação mais gostosa! Quando ele se cansou, sem gozar (não vamos esquecer o motivo do seu apelido ser O Extenuante rs), invertemos as posições e daí eu que fui por cima. Ainda com meu vibrador em ação, o posicionei de modo que eu roçasse nele sempre que eu sentasse e foi interessante o feedback do cliente nesse momento, pois antes de deixar o vibrador ali (entre o meu clitóris e a sua virilha), perguntei se lhe causava algum incômodo e ele disse que não, que era interessante a sensação do vibrador massageando-o também. Então lá fui eu, focada, determinada e alucinada com o prazer. Foi um prazer duplo (não de dupla penetração rsrs), sentir algo vibrando no clitóris ao mesmo tempo em que o sentia me penetrando. Fantástico!
 

* Dica para as mulheres: comprem um vibrador e não usem somente sozinhas! 
 
Eu gozei muito gostoso e surpreendentemente ele também!! Fiquei completamente abobada quando consegui o feito de fazer aquele homem difícil gozar transando (só havíamos conseguido uma única vez, no nosso terceiro encontro). Perguntei se tinha sido o vibrador, mas ele não admitiu rs, disse que o fato de eu estar por cima lhe dá bastante tesão. Hummm. Mas acho que foi uma soma. Estarmos na sua posição preferida, me ver gozar, sentir algo massageando a sua pele, enfim. Foi uma transa e tanto! 
 
Pedi licença para me banhar primeiro e quando voltei, adivinhem? Ele já estava dormindo. Me deitei ao seu lado e tentei dormir também, quem resiste a uma cochilada pós-transa? Mas meu sono não engrenou pois eu estava com uma insistente dor de cabeça. Sempre que viajo levo uma pequena farmacinha comigo, mas desta vez não fui prevenida para isso (não esperava sofrer desse mal na praia rs). Ele ficou de ver para mim se havia levado entre as suas coisas, mas não deixei que se levantasse naquele momento, pois não queria estragar seu sono. Então após um tempo naquela luta interna, decidi ver se no hotel teria e o avisei que iria dar uma volta. Ele assentiu e saí do quarto rumo a recepção. 
 
Lá fui informada que havia uma “Drugstore” dentro do hotel e segui para o local indicado. O tal drugstore era mais uma lojinha de revistas e cangas e o estoque de remédios ficava atrás da balconista, dentro de um gaveteiro de plástico em cima do próprio balcão. Perguntei se tinha remédio para dor de cabeça, ela respondeu que sim e perguntou qual eu gostaria. “Advil”, respondi prontamente. Ele procurou e não tinha. “Dipirona?” Tentei de novo e nada também. “Neosaldina?” Também não tinha e eu fiquei sem entender o porquê afinal ela me deu o poder de escolha, se eles só tinham uma opção de remédio. Kkkkk. “O que você tem aí?” Perguntei quase sem esperanças. “Doril senhora”, ela respondeu. “Pode ser esse então. Obrigada”. 
 
Paguei pelo remédio e segui para o lounge, onde tinha um homem tocando piano. O lugar estava praticamente vazio, com exceção de um outro rapaz mexendo em seu notebook. O garçom veio até mim e pedi uma água. Tomei o remédio e fiquei ali por um tempo observando o pianista (foi nesse momento que tirei a foto do início do post). Quando percebi que a dor de cabeça estava amenizando, me levantei e fui dar uma volta pelo hotel. 
 
Encontrei umas lojinhas de roupas e entrei numa delas. Não havia ninguém dentro da loja (nem mesmo o responsável por ela) e fui olhando as peças como quem não quer nada. Acabei sendo conquistada por um macacão e uma saída de praia. Resolvi prová-los. Olhei em volta pra ver se surgia algum vendedor ou caixa e o estabelecimento continuava deserto. Ousadamente fui sozinha para o provador e deixei para procurar por alguém só se eu realmente fosse ficar com as peças. 
 
Apaixonada. Fiquei completamente apaixonada por aquele macacão, apesar de ter ficado um pouco sem bunda vestida nele. A saída de praia também ficou um arraso (postarei foto e vídeo com ela no decorrer das postagens) e decidi levá-los. Nessa hora eu precisava de um atendente, deixei as peças em cima do balcão e saí para perguntar numa outra loja próxima. “Moça, você sabe onde está a pessoa responsável por ali?” E apontei a loja vazia. “Ali senhora”, ela apontou para a loja ao lado. Pelo jeito o dono tinha duas lojas e escolheu ficar na outra rs. Fui até lá, chamei o senhorzinho que estava no balcão e ele todo surpreso disse que não tinha me visto entrar na sua outra loja rs. Me fez um bom desconto pelas peças (que afinal estavam com 30% de desconto, mas ele deu até mais pois queria que eu comprasse as duas). Paguei por elas e voltei para o quarto. 
 
O Extenuante já havia acordado e, pela atmosfera do quarto, já havia até tomado banho. Falou de irmos jantar e me troquei, já estreando aquele macacão maravilhoso que não aguentei esperar mais para vesti-lo (e olha que levei uma mala cheia de roupas rs). Havia três tipos de restaurantes no hotel: O buffet, o de frutos do mar e o italiano. Nessa primeira noite optamos pelo frutos do mar. O restaurante era agradável, ficamos na parte externa, onde também éramos agraciados com a brisa da noite. As únicas críticas que cabem aqui é referente a demora no atendimento. Teve um momento que pedi apenas uma água e demorou muito para chegar, estava quase perguntando se haviam realmente anotado o meu pedido rs. Também não acertei muito na escolha do meu prato. O camarão estava um tanto sem gosto, o que deu sabor ali foi a banana. Provei da refeição do Extenuante e gostei menos que a minha rs (tanto que na noite seguinte não quisemos mais arriscar e fomos no buffet mesmo rs).
 
Durante o jantar conversamos muito sobre filmes e séries, o que acabou sendo determinante para o resto da nossa noite, já que terminamos o dia assistindo filme, deitados na cama. Ele confessou que era mais caseiro e que preferia ficar pelo hotel, ao invés de sairmos, e concordei feliz, pois também estava um tanto preguiçosa naquela noite. Ele disse que tinha um certo preconceito com filmes nacionais e por conta disto incentivei que justamente assistíssemos uma comédia nacional, que gosto muito, e que inclusive indico para vocês também: A Noite da Virada! (Tem na Netflix!) Eu já perdi as contas de quantas vezes assisti à esse filme (sempre repito quando gosto muito de algo), já persuadi muitas pessoas a assisti-lo comigo e dessa vez não foi diferente hehe. Ele aceitou a minha sugestão, então lá estávamos nós, já deitados na cama, assistindo em seu notebook (infelizmente não foi possível assistirmos na TV do quarto, a mesma não havia a Netflix instalada e também não nos forneceram cabo HDMI).
 
Ao término do filme transamos de novo, mas não vou me estender nos detalhes pois, além de ter sido muito parecida com a primeira transa de quando chegamos (com exceção que desta vez ele não gozou), esse post também já ficou bastante extenso e não quero cansá-los (mais) rs. Então… até o segundo dia da viagem!
 
Praia da Enseada, Guarujá

Um comentário em “Viagem com o Extenuante!

  1. Entrei no site do hotel e é realmente muito bonito! E você, menina, fica bem na foto até com dor de cabeça! rs! Vamos “viajar juntos” mais uma vez!😘

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.