“O Galã”

Querido diário…

Acho que essa foi a primeira vez em que fui abordada por alguém que, mesmo sem ter saído comigo, me reconheceu devido as fotos do Twitter. 😯 Combinei de encontrar esse cliente no Hotel Radisson da Vila Olímpia e assim que desci do Uber, fiquei um pouco atônita procurando por ele. – Pedi que me encontrasse na entrada, mas, depois o encontrei me aguardando lá dentro. –

Nisso, percebi um cara, que também estava na entrada do hotel, um pouco mais distante de mim, me olhando. Por um segundo pensei que ele pudesse ser o tal cliente que fui encontrar, ainda que fossem super diferentes, mas fiquei na minha, até que ele se aproximou de mim…

Com licença, posso te perguntar uma coisa? – Ele perguntou e não sei porque, mas, deduzi que fosse me perguntar se eu era acompanhante.

– Claro.

Você é a Sara?

E você é o *******? –  Respondi uma pergunta com outra pergunta rs.

Não.

Ah tá rs, já tava achando estranho, tão diferente da foto rs. […] A gente já saiu?

Não… É que eu já te vi no Twitter.

Nossa, nunca aconteceu de me reconhecerem assim.

Fiquei mesmo impressionada, eu nunca divulguei a foto do meu rosto em lugar nenhum. Daí, percebendo que ele não era a pessoa pela qual eu fui encontrar, me despedi e fui procurar o cliente certo, aquele que estava me esperando do lado de dentro.

O cliente da vez era bastante novo e atraente, meu dia de sorte? Nem tanto, pois seu pau era consideravelmente grandinho. Mas chegarei lá rs. Tinha uns traços árabes, me lembrou bastante o Habib. Não falava uma palavra em português e seu espanhol era difícil de entender. Foi uma comunicação complicada. Às vezes fingi entender o que ele estava dizendo para não ficar chato toda hora eu pedindo que ele repetisse por não ter entendido. 😬 Colocou a minha playlist de Músicas Sensuais para tocar no seu Spotify, mostrando que realmente me acompanhava rs. 😍

E então começamos a nos beijar. Estava curtindo atender ele, mas, confesso que quando vi o tamanho do seu pau, me assustei um pouco. Era comprido. Do tipo que alcançaria até o meu útero. As preliminares foram deliciosas. Ambos nos chupamos e rolou bastante química. Após encapado, começamos comigo por cima, controlando até onde seu pau entrava. No entanto, depois ele pediu para me pegar de quatro e nessa hora sofri um pouco, senti muito desconforto quando ele metia rápido e ainda demorou consideravelmente para gozar.

Depois que ele chegou lá, fizemos uma merecida pausa e tentamos conversar, porém, estava mesmo complicado entender o seu espanhol. Até que, de repente, ele perguntou se podíamos de novo. Reiniciamos as preliminares, fazendo um delicioso 69, mas, voltei para a sofrência quando transamos. Tenho percebido pelas minhas experiências que a lei de Murphy é mesmo constante. Quanto mais o cara for pauzudo, mais vai demorar para gozar. 1:30 foram completamente preenchidas e bem aproveitadas (por ele), sexualmente falando.

Um comentário em ““O Galã”

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.