Conteúdo Online

Querido diário… 
 
Um mês depois, eis que ressurjo nessas páginas. Estava refletindo por esses dias, sobre as postagens antigas daqui do blog. Durante muito tempo relatei sobre os meus encontros presenciais, encontros esses que estão carinhosamente guardados na minha memória, mesmo os que não foram relatados. E divagando sobre este assunto, brotou em mim o seguinte questionamento: por que não relatar um pouco do que tem sido os atendimentos virtuais também?
 
Parei de relatar os encontros presenciais, pois, queria explorar outros viés de escrita, estava cansada de fazer mais do mesmo – ainda que uma parte dos clientes só quisessem sair comigo para ler o que eu escreveria sobre eles depois – e consegui. Os textos que vieram a seguir ficaram ainda mais desafiadores e prazerosos de escrever (imagino que a respectiva leitura também). Não gosto de escrever por obrigação e sim quando estou inspirada para isso.
 
Todavia, escrever sobre como tem sido os atendimentos online durante este período, também seria uma experiência nova e interessante. Afinal, conversar sacanagem no WhatsApp, me preparar para tirar uma foto roteirizada pelo comprador, gravar vídeos mais especiais do que os que costumava postar gratuitamente no Twitter, ou me preparar para ficar alguns minutos em vídeo chamada com um estranho, são experiências completamente novas para mim. Parece fácil, mas tudo requer trabalho e dedicação, seja no presencial quanto no online. Fazia tempo que eu recebia procura por esse tipo de serviço, de seguidores de outros estados, mas precisou vir uma pandemia para eu me diversificar na marra rs.
 
Enfim, tudo isso para dizer que vim aqui surpreendê-los com uma postagem nova!
 

Dirty Talk

A minha primeira experiência com dirty talk foi com um cliente que, por acaso, já era conhecido. Tivemos apenas dois encontros presenciais (sendo que o primeiro foi há três anos)  e foi o suficiente para que ele animasse algo no virtual comigo. 
 
Não pude sentir o seu pau me penetrando deliciosamente como quando nos encontramos pessoalmente, porém, o virtual nos permitiu algo que o presencial jamais poderia nos oferecer: a criação, o brincar de faz de conta! No sexo virtual TUDO pode e NADA oferece riscos. Pelo contrário, quanto mais inventarmos, melhor… Preparem-se para um conto erótico da vida real…!
 

 

-O que você está vestindo? – Perguntei adentrando com sutileza.

-Estou de bermuda e camiseta. – Hummm, não muito sexy rs.

-Eu estou de camisola. Acabei de deitar na minha cama.

-Também estou deitado.

-E o que está a fim de fazer?

-Eu gostaria de estar aí do seu lado. Te beijando, fazendo carinho.

-Vamos imaginar que você está passando pela minha porta. – Assumi o controle da situação.

-Certo.

-Te recebo com um carinhoso e demorado beijo na boca. Depois pego na sua mão e te levo para o meu quarto. Está rolando uma deliciosa música de fundo, uma penumbra suave com o abajur, te sento na cama e começo a me despir lentamente pra você. Vendo que já estou completamente nua, você não resiste ficar apenas olhando e passa suas mãos pelo meu corpo. Nesse momento, o que mais você faz comigo? – Passo a bola para ele, enquanto vou ligando meu vibrador e posicionando em cima do meu clitóris. Com tesão fico ainda mais inspirada!

-Eu te beijo mais um pouco e vou descendo lentamente.

-Humm que gostoso. Consigo sentir. – E consegui mesmo, coisa de quem tem imaginação fértil hehe.

-Passo pelos seus seios, beijando também, mas com muito carinho, levemente. Alterno os seios. Enquanto beijo um, faço um leve carinho no outro. Sentindo seu corpo macio contra o meu, dou um leve abraço.

-Uau, que gostoso. – Curto esse jeito romântico dele.

-Depois desço até sua menina e começo a beijá-la com cuidado, sem forçar.

-Que já está bem molhadinha a sua espera. – Me empolguei com a narração dele.

-Sim, já posso sentir. Mas não temos pressa. Vou passando a língua ao redor com cuidado.

-Começo a me contorcer.

-Fazendo movimentos de cima para baixo e ao redor. Sentindo você se contorcer.

-Que tesão! – Realmente estava bastante excitada com a combinação do meu vibrador e as suas palavras.

-Cada vez que você se contorce, fico com mais tesão.

-Eu começo a implorar para que me deixe chupar você também. Será que me permite??

-Sinto suas pernas fazendo pressão em volta do meu pescoço. Nesse momento, me levanto e fico em frente a você, esperando você me retribuir.

-Me ajoelho na sua frente e começo a lamber suas bolas. Vou passando minha língua bem devagar, abocanho uma a uma bem suavemente. Depois de algum tempo me deliciando nelas, subo com minha língua pela extensão do seu pau, como se ele fosse um sorvete. Te chupo, enquanto te olho com os meus enormes olhos.

-É uma sensação única sentir sua boca no meu pau.

-Consegue me ver ajoelhada na sua frente com cara de safada e inocente?

-Passo a mão levemente no seu cabelo, enquanto olho essa cena.

-Levo a cabeça do pau até o céu da minha garganta e volto lentamente.

-Sinto uma sensação de tesão que percorre todo o meu corpo. Faço um leve movimento, pressionando sua cabeça na direção do meu pau.

-Estou louca para sentar nele, mas continuo chupando. Ele já se encontra todo babado. Adoro essa pressão que faz com a sua mão na minha cabeça. Ouço você me chamando de alguma coisa safada. O que seria? Do que está me chamando?

-Digo: Ah, safada, cachorra, isso, continua assim. Delícia! Isso, assim mesmo!

[Envio uma figurinha com os dizeres: CREDO Q DLC]

-Involuntariamente, faço um movimento de vai e vem na sua boca. Mas de leve. Sinto meu pau inteiro nela, pressionando um pouco mais sua cabeça na minha direção.

-Que tesão sentir ele pulsando assim! Aposto que está doidinho pra dar leitinho na minha boca, mas está se segurando porque ainda quer me comer bem gostoso.

-Sim, mas ainda não. Estamos apenas começando. Seguro seus cabelos em volta da minha mão pra poder ver seu rosto enquanto faço ainda esse movimento na sua boca.

-Continua socando ele na minha boca…

-De vez em quando puxo sua cabeça pelos cabelos, retirando o pau da sua boca.

-E quando tira ele está todo babado.

-Pra logo em seguida colocar de novo pra você continuar.

-Estou sentindo você empurrar minha cabeça com mais força?

-Sim, vou fazendo um pouco mais de força, até o momento em que sinto quase gozar.

-Tô sentindo engasgar com a profundidade que seu pau entra fundo na minha boca.

-De repente, te puxo e te levanto dando um logo beijo na sua boca. Depois te deito na cama, pra começar a te chupar mais um pouco.

-Estou quase implorando para ser penetrada!

-Mas é só pra atiçar, porque minha vontade é de já poder enfiar o meu pau em você.

-E não pode?

-Ah, pode! Rs.

-Então vem!

-Mas peço pra você cavalgar em mim.

-Safado. Me posiciono por cima de você, mas não deixo ele entrar ainda, fico apenas roçando a cabecinha, te provocando. Ameaçando entrar e não entro.

-Dessa forma, com você sobre mim, posso admirar seu rosto. Uma delicada mistura de delicadeza e safadeza.

-Começo a me masturbar com seu pau, roçando a cabecinha no meu clitóris.

-Que delícia! Consigo sentir sua bucetinha roçando no meu pau.

-Estou toda molhada, está bem escorregadio…

-Não consigo ficar muito tempo assim e já tento finalmente penetrar, já antevendo a sensação de estar finalmente dentro de você, te sentindo.

-Que macio sentir seu pau entrando. Consegue sentir como está quentinho lá dentro? Começo devagar, mas sentando bem fundo nele.

-Sinto um calor intenso, logo na primeira estocada. Já te agarrando pela cintura, pra sentir ainda mais você.

-Que delícia sentir ele no pelo. – Eis aqui a grande vantagem do virtual: aquela brincadeira gostosa de faz de conta! – Começo a sentar cada vez mais forte.

-Cada vez que te penetro, sinto mais e mais tesão. Mas ainda não quero gozar.

-Claro que não, quero sentir mais dele. Inclusive quero fazer de quatro. Aliás, nessa outra posição fico com vontade de sentir você em outro lugar também! – Safadinha eu hehe.

-Vamos chegar lá! Te peço pra ficar de quatro. A visão que tenho nessa posição me deixa ainda mais tarado.

-Você começa a pincelar seu pau entre a minha xana e o meu cuzinho.

-Só pra você saber as minhas intenções.

-Você decide me provocar um pouco mais e coloca só a cabecinha. Começo a me masturbar enquanto você faz isso. Tô louca pra sentir você entrando mais um pouco. O que você faz? Atende o meu pedido?

-Seu pedido é uma ordem!

-Ahhhhhhh

-Começo a enfiar bem devagarinho, com calma!

-Sentindo ele sendo apertado cada centímetro que entra.

-Quando finalmente entra por inteiro, começo a fazer o movimento de vai e vem. Bem devagar no começo pra você se acostumar. Aos poucos vou aumentando a velocidade.

-Que tesão sentir seu pau no meu cuzinho. Não para!

-Vou aumentando a velocidade, aumentando, aumentando… com isso vou apertando ainda mais a sua cintura contra mim.

-Estou quase gozando, que delícia! – Estava quase mesmo!

-Cada estocada que dou, ouço o barulho dos nossos corpos se chocando e me dá ainda mais tesão. Enquanto enfio, falo várias putarias. Isso, safada! Tá sentindo meu pau no seu cuzinho, tá?

-Sinto você estocando e apertando meu pescoço!

-Cachorra!

-Isso, continua socando desse jeito bem gostoso, quero sentir o quentinho bem gostoso jorrando lá no fundo!

-Já estou quase gozando!

-Eu também! – E enviei um vídeo de 7 segundos me masturbando, só para atiçar ainda mais hehe…

-Quando finalmente sinto que não vou mais segurar, te aperto com mais força, enquanto sinto uma porra quente sair do meu pau bem dentro de você.

-Minha buceta está até estalando nos meus dedos de tão molhada. – Verdade, verdadeira naquele momento.

-Dou um urro de prazer e falo mais um porção de putaria. Ah, caralho! Que cachorra safada! Que cu gostoso! Vadia!

-Safado!

-Tiro meu pau do seu cu e te viro pra te dar um longo beijo molhado e sinto seu corpo todo contra o meu.

*

-Acho que foi a gozada mais intensa que já tive nos últimos tempos. Várias vezes tentei tirar uma foto dos meus dedos melados, mas não dá pra perceber na câmera. Você conseguiu gozar conforme narrava mesmo? – Perguntei após encerrarmos aquela sessão de prazer.

-Nem tô conseguindo digitar direito aqui rs. Caralho Sara, que foda! Só não foi melhor do que estar com você mesmo. Puta que pariu, que tesão, que foda! Sério! Assim que acabar essa quarentena preciso te ver de novo, urgente! Você não tem noção, não sou muito de fazer esses lances de Dirty Talk, mas foi como se você estivesse aqui comigo. Não consigo nem falar, sério, que demais. Preciso muito te ver…

-Geralmente por mensagem nem esperamos que seja tão incrível assim quanto pessoalmente, mas que bom  que eu consegui chegar perto então! Totalmente recíproco!

-1h foi muito pouco! Nem consegui falar sobre seu livro, nem perguntar como você estava, nada! O tempo voou da mesma forma que voa quando estamos juntos.

*

E assim encerrou nosso atendimento virtual. Fizemos dos limões a limonada e gozamos juntos, com brincadeiras ousadas, que pessoalmente não seria possível acontecer.

E aí, gostaram? Devo continuar com essas postagens?? Me deixem saber nos comentários!!

 

Em tempo, gostaria de aproveitar para comunicar que lancei hoje no Instagram (@saramullerblog) um Concurso valendo três cópias autografadas do meu livro! Posso estar sumida por aqui, mas continuo ativa nas redes sociais! Me sigam lá!! (Por razões de segurança, não aceito contas fakes!)

Um beijoooo!

5 comentários em “Conteúdo Online

  1. Legal,meio esquisito de ler um dialogo por telefone, ficou meio sem graça,claro que ouvindo sua voz excitante deve ser ótimo,mais como escrito prefiro os contos são bem mais excitantes

  2. Gostei do texto, mas sexo virtual não é comigo rsrsrsrs.
    Agora, algo me chamou atenção e é uma dúvida que tenho.
    Normalmente as GP’s lembram dos clientes ? Como esse que vc relatou, que o primeiro encontro foi a três anos.
    Sempre tive essa curiosidade, e já tive experiência de voltar em um GP depois de mais de um ano e esse lembra do acontecido.

Deixe uma resposta

You have to agree to the comment policy.