Casal: “Os Transcendentais”

Já fazia três meses que eu não atendia casal. A proposta surgiu repentinamente para o mesmo dia. Casal de médicos, ambos vacinados, fui mais tranquila. Combinamos num hotel em Santo Amaro, consideravelmente longe do meu percurso, mas fui! Adoro esse tipo de aventura! Assim que cheguei, ele me buscou no hall, enquanto ela nos aguardava no quarto. Conversamos um pouco no trajeto até a suíte e ele disse que já me acompanhava há algum tempo, gosto quando tenho esse tipo de retorno. Assim que a porta da suíte se abriu, a avistei. Ela usava um vestido preto decotado e curto, com tecido brilhoso, estava bem sexy.

Surpreendentemente a sua esposa tinha o mesmo biotipo que o meu, loira, magra e cabelo curto, eu só era um pouco mais alta. Me serviram champagne, bebemos e conversamos um pouco em pé, até que ele me convidou a sentar. Sentamos eu e ela, lado a lado, enquanto ele continuava de pé. Quando ele resolveu se sentar, estranhei que não escolheu ficar no meio de nós duas e ofereci trocar, mas ele disse que não, eu que ficaria no meio dos dois! Hummm… já senti aquela maldade que adoro!

Conversa vai, conversa vem, ele tomou a iniciativa de me abraçar primeiro, até que grudamos os três, beijo triplo, beijo revezado, o negócio já começou quente! Em menos de meia hora de conversa fomos para o quarto. Sugeri colocarmos um sonzinho (definitivamente sou a louca das músicas, rs), o hotel era antigo e não tinha caixinha de som, então ofereci deixar tocando pelo meu celular (voltei para casa com 10% de bateria, com o carregador dentro da bolsa o tempo inteiro! Rs), eles aderiram e obviamente coloquei aquela minha playlist marota, Músicas Sensuais, que criei justamente para esses momentos.

Música tocando, The xx abrindo caminho, nos reunimos no centro do quarto, os três grudados, bebendo e se tocando em uníssono. Nesse momento os dois me fizeram de sanduíche e me senti sendo devorada de uma maneira muito gostosa! Beijava ela, enquanto ele me encoxava, mãos bobas passeando pelos corpos, parecia que éramos uma coisa só.

Enquanto ainda estávamos no sofá, ela tinha me avisado que não era ciumenta e que eu poderia interagir bastante com ele também, algo que, confesso a você, levei um certo tempo para aderir, pois primeiro preciso sentir se a mulher está sendo realmente sincera ou se está falando pelo parceiro. Quando a ouvi elogiar, mais de uma vez, que aquilo estava gostoso – a pegação entre nós três, comigo beijando seu pescoço e ele me encoxando – , acreditei que ela realmente devia ser uma mulher mais liberal. Me joguei!

Depois invertemos o sanduíche e a colocamos no meio. Ele me beijava, enquanto a encoxava, uma putaria só! Comecei a despir a roupa dela e em poucos minutos éramos duas usando apenas uma calcinha. A roupa dele demorou para sair, mas quando saiu me surpreendi com o tamanho do rapaz. Ele tinha comentado de antemão, no início do champagne,  que o seu membro estava acima do que eu aceitava (isso quando eu tinha aquelas restrições com o tamanho do dote), ao que eu esclareci que estas regras estavam fora de validade, rs. Comecei a chupá-lo e a chamei para chupar comigo, fiquei nas bolas por um tempo, enquanto ela mandava ver no pau. Depois ela subiu para beijá-lo e foi a minha vez de abocanhá-lo. Em alguns minutos voltei a beijá-la e masturbei ambos, ao mesmo tempo, com cada uma de minhas mãos. (Me surpreendi em como eu estava multifuncionalidades neste dia! )

Depois ele nos conduziu para a cama, como um lobo pronto para atacar as suas presas. Enquanto ele trazia as nossas taças, eu a deitei de um jeito que eu pudesse chupá-la. Esse era o meu momento. Quando abri as pernas dela, me surpreendi em como sua xaninha se parecia com a minha! Era praticamente igual na verdade! Achei engraçado a coincidência e comentei com eles que éramos iguais, todos demos risada.

A chupei exatamente como gosto que me chupem. Com delicadeza e suavidade. Língua mole, deslizando com cuidado. Minha boca estava na xana dela e meus olhos estavam nos dois, que se beijavam excitantemente. Depois ele se posicionou, de joelhos, para que ela o chupasse e assisti tudo de camarote! Ao longo do processo, desconcentrei ela um pouco, conforme eu avançava na velocidade da chupada.

Chupar o outro é mesmo uma coisa muito sensorial. Ao perceber que seus gemidos ficaram mais intensos, comecei a acelerar os movimentos para acompanhá-la. Após um tempo senti um tremer quase imperceptível do seu corpo e achei que ela tivesse gozado, já estava desacelerando de novo, até que quis me certificar se ela tinha ido mesmo. Me respondeu que não, com um risinho maroto, retomei com toda a minha força lingual no mesmo momento. Ela veio e desta vez tive certeza!

Depois que a fiz gozar, eles voltaram as atenções novamente para mim e ele anunciou que era a minha vez de ser chupada! Achei que seria ele quem me chuparia, mas ela tomou a frente e foi primeiro. Hummm, gostei! Daí ele fez comigo o mesmo que fez com ela, minutos atrás, nos beijamos e depois ele se posicionou, de joelhos, para que eu também o chupasse. Chupar um pau com o pescoço de lado é uma tarefa injusta, ele não entra tão fluído como com a cabeça de frente, mas fiz o possível para dar o meu melhor.

Depois ele também me chupou, deliciosamente, mais habilidoso que ela. Ficamos nas preliminares por um tempão antes da primeira penetração. Nossa interação era mesmo como uma coreografia, só que livre, de improviso, mas tudo se movimentando com harmonia e fluidez. Depois que o chupei, chegou o momento de transarmos, obviamente que eu, sendo a novidade, fui a primeira e ser penetrada.

Ele cuidadosamente veio no papai e mamãe e ela se deitou ao meu lado. Nos beijamos no começo da penetração, enquanto ele estava mais devagar, até que quando ganhou um certo ritmo e velocidade, comecei a me masturbar. Fiquei algum tempo me masturbando enquanto ele entrava e saía bem gostoso, até que gozei maravilhosamente. Daí ele aproveitou o meu momento para dar uma pausa e não queimar largada.

Assim que me recuperei, fui por cima e enquanto eu sentava, eles se beijavam. Cavalguei por um tempo, até ele dizer que também queria pegar ela. Achei que ele só fosse tirar a camisinha, mas fez uma pausa completa e foi tomar banho. Nesse meio tempo eu e ela começamos a bater papo sobre o seu silicone. Ela era uma mulher mais madura, muito bonita, se cuidava muito bem, me contou o que a motivou turbinar os seios. Ele voltou, adentrou na conversa, mas dali a pouco voltamos as preliminares. Ajudei a reanimá-lo no sexo oral e quando ficou no ponto, a colocou de quatro.

Antes que ele a penetrasse, pedi licença para lubrificá-la e, com ela de bundinha arrebitada, dei uma bela lambida na sua buceta. Quando ele a penetrou, fiquei um pouco confusa do que fazer, não sabia se dava atenção para ela ou para ele, mas daí rapidamente ele resolveu essa minha questão interna e me puxou para beijá-lo, enquanto bombava nela. Depois ela foi por cima e nesse momento fizemos algo que eu nunca tinha experimentado!

Ela se deitou por cima dele e me conduziram a deitar por cima dela, que estava de costas para mim. A princípio não entendi muito bem qual era a ideia, mas conforme fui me deixando levar e comecei a fazer movimentos de vai e vem também, percebi que o meu movimento ajudava no dele, lhe dando maior intensidade na metida. Ficamos assim, nessa dança coreografada, com ela gemendo que aquilo estava delicioso. Após algum tempo, sem ninguém precisar falar, fomos diminuindo o ritmo até sairmos da posição naturalmente. Trocaram de posição novamente, desta vez ele a pegou no papai e mamãe.

Logo que a transa começou, enquanto eu os assistia, percebi que ela não se masturbava durante a penetração. Achei aquilo um grande desperdício e, ousadamente, comecei a masturbá-la com a minha mão direita, enquanto também me masturbava com a mão esquerda. (Felizmente, a masturbação é a única coisa que consigo fazer com as duas mãos!) Novamente multifuncionalidades! Tive que tomar bastante cuidado para não atrapalha-lo ou dar alguma unhada no seu pau.

Mais uma vez, fiz com ela o mesmo que gosto que façam comigo. Tomei o maior cuidado começando devagar, pois meus dedos estava secos e eu não sabia se ela já estaria lubrificada o suficiente. Não foi nada interno, a masturbei no clitóris. Após um tempo nessa delícia, senti ela ficando mais molhada e seus gemidos ficando mais intensos. O fato dela, notoriamente, estar quase gozando, me deixou muito perto de gozar também. No entanto, no decorrer da carruagem, percebi que, com o orgasmo se aproximando, eu não conseguiria focar nas duas e decidi então focar nela. Naquele momento, novamente eu entendi o porquê que um homem gosta de ver uma mulher gozando.

Ao notar que ela tinha gozado, ele também foi desacelerando. Ele ainda não tinha ido e fez uma nova pausa, indo tomar outro banho. Desta vez, o meu bate papo com ela foi sobre as outras vezes que eles fizeram ménage – são um casal muito safado, fazem  sempre -. Quando ele retornou, novamente participou da nossa conversa, até que me puxou para mais um beijo e combinou com ela que iria gozar comigo.

Voltamos as preliminares, para logo depois ele me colocar de quatro. Ela estava deitada do outro lado da cama nos assistindo. Comecei a me masturbar, mas o que fez mesmo ficar ainda mais gostoso para mim, foi quando a vi se masturbando também, enquanto nos assistia. Foi uma soma de dois sensoriais maravilhosos juntos (clitoriano e vaginal) e um visual, estava tudo delicioso. Vê-la se masturbando, ao mesmo tempo em que ele me comia, me deu um tesão enorme e foi o que me fez gozar. De repente ele desacelerou antes da hora, achei que ele já tivesse gozado e pedi que continuasse. Ele, obedientemente atendeu o meu pedido, contribuindo para que eu tivesse um extasiante clímax!

Quando gozei, achei que fôssemos interromper a transa e só então entendi que o danadinho ainda não tinha gozado. Me levou para a frente de um espelho, fora do quarto, perto  de um closet e comigo em pé toda empinadinha, gozou me olhando pelo reflexo enquanto bombava forte. Safado. Depois ele voltou para o quarto, ficar junto dela, e eu aproveitando que estava perto do banheiro, fui fazer xixi. Ainda tínhamos algum tempo, então tomei uma ducha rápida e voltei para a cama com eles.

Bebericamos um vinho e conversamos bastante, nesse tempo que restou não rolou mais sexo, estávamos exaustos. Ao final, lhes dei o meu livro autografado de presente e saí de lá me sentindo tão leve, que poderia até flutuar.

Casal: “Os Sexys”

Querido diário…

Não é mesmo assustador que a minha última postagem sobre atendimento de casal tenha sido em fevereiro do ano passado, sendo que tive novas experiências, tão deliciosas quanto, de lá para cá?!

Bom… recentemente tive um atendimento delicioso com um casal de namorados e decidi que precisava compartilhar isso aqui. Aliás, com essa quarentena e muito tempo livre, acho que, por tempo indeterminado, voltarei a relatar os encontros! Preciso de inspirações para poder alimentar o blog e nada melhor do que esses dates, não é mesmo?!

Mas, voltando ao assunto principal desse post: o casal. Quem me contatou foi a mulher, muito educada e gentil, me abordou da seguinte maneira:

Conversamos um pouco e ela disse que me retornaria. Uma semana depois agendamos a data do encontro.

*

Suíte 08. Quando abriram a porta do quarto, me deparei com um lindo casal. Uma moça de 20 anos e ele 31. Ela vestia um body sexy, saia, blazer e nos pés salto alto. A achei linda e bem vestida. Confesso que quando a vi, até me senti um pouco mal por eu estar tão comportada no look (calça preta colada, bota de salto e casaco), por sorte, a blusa que eu usava por debaixo do casaco era decotada. Costumo ir aos atendimentos mais discreta, mas, quando a vi montada em toda aquela sensualidade, comecei a me despir imediatamente, ficando apenas de lingerie, enquanto ainda conversávamos.

Ambos nunca tiveram uma experiência com sexo a três  e namoram há não muito tempo (apenas um ano). Me senti honrada em ter sido escolhida para ser a primeira deles! 😃

Ele pediu bebidas para nós, ela ajustou a iluminação do quarto, deixando que uma luz vermelha reinasse no ambiente e eu, me voltando para eles, perguntei se poderia começar por ela, que no mesmo segundo em que seu namorado me respondia com um “por favor”, me tascava um beijão daqueles com tanta autonomia, como se, ao contrário do que me disse, aquela não fosse a sua primeira vez com outra mulher. Um tesão! 😋

Ele estava sentado na cabeceira da cama, eu e ela na beirada. Nos beijamos bastante e então comecei a despir o seu body. Ela tinha seios lindos! 👏🏻 Suspeitei que pudessem ter silicone, mas não perguntei.

Chupei seus mamilos com o maior esmero, até que, após um tempo, ela retribuiu os mesmos carinhos em mim. (Hummmm.) Depois, a deitei na cama e me preparei para cair de boca na sua buceta. Totalmente depilada e convidativa. Ele, que por enquanto só assistia, não parava de repetir coisas como: “Se eu morresse agora, morreria feliz”, “Vocês duas não tem noção de como são lindas” e “o que mais um cara pode querer?” 😅

Quando desci para o meio das pernas dela, ele começou a beijá-la, trocando palavras de amor. Realmente me considerei muito privilegiada por estar fazendo parte daquele momento dos dois. Chupei aquela buceta com toda a habilidade que adquiri ao longo dos anos e quando espiei novamente, ela também o chupava, que se encontrava ajoelhado à sua frente. A fiz gozar, tenho quase certeza. Seus gemidos ficaram urgentes e ofegantes por um tempo, até que ela desabou após um forte tremido. 

Nos voltamos para ele. Seu pau, devo admitir, era um dos maiores que já vi! Não sei como não a machucava. 😟 O chupamos e também revezamos, uma lá embaixo, enquanto a outra o beijava na boca e… falando em beijo… ambos beijavam muito bem! Que casal!  👄

De repente, tive o meu momento de ser mimada e foi excepcional! Ela chupando minha menina, enquanto ele chupava os meus mamilos. Aquele instante foi muito marcante! O meu bem estar foi consumido pelo visual e sensorial. Dos meus seios ele subiu para os meus lábios e não muito depois percebi que ela parou de me chupar. Senti  que era hora de voltar a dar atenção a ela!

Após muitas preliminares e goles em nossos drinks, a primeira transa da noite se desenrolou. Ela sentou nele com muita vontade e força, me surpreendendo que desse conta de todo aquele volume. Ele pediu que, enquanto ela cavalgasse, eu sentasse em seu rosto. Obedeci. Me posicionei de frente para ela e trocamos alguns beijos sempre que ela desacelerava para recuperar o fôlego. Ele não gozou – obviamente queria poder aproveitar ainda mais –, voltamos as preliminares e mais para frente chegou a minha vez.

Felizmente ele foi muito bacana comigo, pois, cuidadosamente veio no papai e mamãe, e não estocou com a mesma intensidade que ela sentou nele. Imagino que vocês saibam do meu histórico de restrições com paus gigantes, então fiquei bastante apreensiva. No entanto, ele foi super cuidadoso, tornando o momento ainda mais prazeroso. (Ufa!)

Ela estava perto me paparicando também, mas teve um momento em que se levantou para tomar mais um pouco do seu drink. Nesse momento, enquanto ele estocava deliciosamente, dividi a minha atenção entre ele e ela, que ainda não tinha retornado para a cama.

Fiquei preocupada que ela pudesse estar se incomodando com alguma coisa e ao perceber que ela não voltou de imediato, cochichei para ele para que não a deixássemos sozinha. Ele concordou e tão logo interrompemos a transa para mais uma rodada de preliminares. 👄

No terceiro round, ele a pegou de quatro. Aquela mulher era guerreira, eu não sei se aguentaria dar para ele naquela posição sem que ficasse desconfortável. Muitos tapas, gritarias e velocidade. Assisti aquela transa selvagem de camarote enquanto me masturbava. Eles eram ainda mais sexys juntos! Achei que ele fosse gozar naquele momento, mas ainda rolou outra rodada comigo.

Ele caiu  de boca na minha buceta, se preparando para entrar em mim novamente, enquanto ela beijava a minha boca. Mais uma vez sua entrada foi gradual e as investidas lentas e suaves como se eu fosse uma virgem. 😇 Gostei disso. Pau gigante tem que ser com jeitinho mesmo.

Mas a sua gozada só aconteceu em mais uma rodada de preliminares, enquanto ela chupava seu pau em conjunto comigo, que chupava as suas bolas. Estava com muita saudade de atender casal! 1:30 passou muito rápido! Quero mais! Quero mais! 🤗

O Verdadeiro Ménage

Querido diário…

Esse post poderia ser mais um de desabafo, mas será de aprendizado. Aprendizado para todos que estiverem lendo e que, por acaso, gostariam ou tem curiosidade de fazer ménage à trois em algum momento das suas vidas.

Posso dizer que sou bastante experiente no assunto. Já fiz muitos ménages ao longo da minha vida, sendo o meu primeiro antes mesmo de ser acompanhante, com uma amiga e seu namorado. 🤭

Ménages masculinos (que são ainda melhores), infelizmente só tive duas experiências. Uma no civil (que você pode ler clicando aqui) e uma no profissional (que ainda não escrevi). Agora ménage com duas mulheres e um homem é bem mais frequente. Seja atendendo em dupla ou atendendo casais.

E se tem uma coisa muito importante que todo mundo deveria saber antes de fazer um ménage com qualquer pessoa é que, Ménage à trois, como a própria palavra já diz, é sexo a três. A três e não a dois. E é de extrema importância que todos os integrantes estejam interligados, em sintonia, não podendo, em momento algum, deixar alguém de fora.

Quando atendo casais, eu sempre tenho muito cuidado com isso inclusive, pois é muito comum o cara se empolgar com quem é novidade naquele quarto, fazendo com que, sem querer, a sua companheira se sinta excluída. Então, sempre dou a maior atenção para a mulher (mais até que ao próprio homem, como uma legítima mulher bi que não sou, mas que nesses momentos desperta esse lado em mim). Afinal, também sou mulher e é da natureza feminina termos a sensibilidade mais aflorada. Às vezes, o cara nem percebe que sua empolgação com uma, está deixando de lado a outra. Por isso esse post. Espero poder abrir a mente de vocês.

Agora, falando de atendimentos em dupla e não casais, se você é um homem que está contratando duas acompanhantes para satisfazer o seu fetiche de transar com duas mulheres ao mesmo tempo, lembre-se de que será muito gentil da sua parte e tornará o momento ainda mais prazeroso se, além de tudo que já citei acima, o que você fizer com uma, também fizer com a outra. 😉

Por exemplo, se chupou uma, retribua chupando a outra depois. Deixará as duas no mesmo nível de tesão e evitará que alguma delas se sinta desinteressante. “Ué, sou obrigado a chupar as duas, se quero chupar só uma?” Obrigado, você não é, ninguém é obrigado a nada, estou apenas dando dicas de como o seu ménage pode ser ainda mais gostoso, sem que role nenhum mal estar para nenhum dos lados. 😉

Você que está lendo isso deve estar pensando: “Hummmm, para ela estar dizendo tudo isso, deve ter passado por alguma situação que não gostou.” Sim, já me conhecem tão bem assim?? 😅

Vivenciei um ménage que acredito ter sido o pior de todos. Como o cliente já tinha saído comigo duas vezes e com a outra acompanhante convidada não, deixou se levar pela empolgação da novidade em alguns momentos, fazendo com que eu me sentisse excluída e mal por estar ali.

Daí você me pergunta: “por que não virou o jogo Sara? Chamando a atenção pra você também?” Eu sou uma pessoa muito tranquila e respeito o momento de cada uma. Só começo a me incomodar se aquele momento deixa de ser apenas um momento e se torna minutos. E se a outra pessoa (no caso ele) não está se importando com a minha presença, por que eu vou me esforçar para agradar alguém que está me ignorando? Comigo não funciona assim. Não cabe a mim implorar por atenção, quando o homem não sabe o real propósito de um ménage. A arte do sexo exige reciprocidade. ☝🏻

O verdadeiro ménage é aquele em que a troca não é desigual. É aquele em que não há egoísmo, independente de quem estiver pagando. É aquele em que no final todos conversam relaxados, embalados na mesma energia.  Se multiplica o prazer e não se divide.

Enfim… o verdadeiro ménage, em toda a sua essência e magnitude, de fato, não é para qualquer um não. 

Ménage à Trois – Parte 2

Segunda noite a bordo…

Sunday Night…

Lá estava eu, outra vez na mesma balada da noite anterior. Ouvindo exatamente as mesmas músicas (a propósito, deixo aqui uma pequena crítica para a MSC: poderiam diversificar melhor aquela playlist. Sempre as MESMAS músicas, todas as noites – não é atoa que voltei sabendo de cór a letra daqueles funks 😂 -), dançando com as mesmas pessoas (eu e as meninas gritávamos toda vez que nos reencontrávamos, já que não tinha como marcar nada efetivo com a internet complicada a bordo) e bebendo o mesmo drink que sempre me apetece (caipiroska).

A boa notícia é que, diferente da noite anterior, desta vez eu estava mais animada e disposta. 🥳 Dançava com as meninas na maior empolgação e, sinceramente falando, nem lembrava da existência do Juninho, até que ele apareceu, novamente dando em cima de mim. 🤨

Mais uma vez lhe dei uma esnobada daquelas e nesse meio tempo ele se ausentou. Uma das minhas mais novas amigas me confidenciou que já tinha o visto naquela mesma noite com outra menina antes de eu chegar, o que não me surpreendeu em nada, mulherengo do jeito que ele é, já era de se esperar. 

Quando ele veio tentar flertar comigo novamente, usei essa informação a meu favor e lhe dispensei com a desculpa que não estava afim de pegar boqueira. Ele pareceu vencido e se ausentou outra vez. 

Drink

Contudo, nesta noite eu me contrariei. 🤦🏼‍♀️ Após mais umas bebidinhas, fiquei com vontade de beijar alguém e, ao contrário de um certo alguém que queria passar o rodo em todo mundo, eu preferia que fosse com alguém que eu já “conhecia”. Então comecei a procurá-lo e adivinhem só? O encontrei dando ideia em mais duas meninas, é claro. 🙄

Cheguei chegando como se já fosse íntima dele (querendo ou não eu até era, mais do que elas pelo menos), o repreendendo, em tom de brincadeira, por já estar xavecando outras. Ele fingiu demência. Nisso as meninas saíram fora e me senti naquelas cenas de filmes em que quando uma chega causando, as outras, por não quererem confusão, saem sem dizer uma palavra. 😂

Assim que elas nos deixaram a sós, ele sorrateiramente me enlaçou em seus braços e lascou-me aquele beijo. 💋 Eu já estava animadinha por conta da bebida, então não precisou de muito para que abandonássemos a balada  e seguíssemos para a sua cabine. 😏

Confesso que eu estava muito bêbada e percebia-se que ele também, o que tornou o momento a seguir ainda mais emocionante! ✨ E mesmo alcoolizada, me lembro de cada ínfimo detalhe… que delícia de noite! 😏

Casal Fogoso Sofisticado

Repeteco com o Sofisticado + A. L.

Estava super curiosa para conhecer a A. e essa terça tive a melhor impressão possível! 🙂 Marcamos de todos nos encontrarmos na Barra Funda. Meu cliente chegou antes e já ficou com o carro estacionado nos aguardando. Eu cheguei antes da A. e ficamos conversando enquanto ela não chegava. Quando o Lu abriu o porta-malas e desceu do carro para ir pegar os chocolates que estavam lá dentro, eu olhei para o lado e bem naquele momento a vi descendo as escadas, com um sorriso de menina arteira no rosto. Linda, bem menininha mesmo. Vestia uma blusinha de alcinha, calça jeans e botinha, cabelo bem lisinho e bem cuidado, possui franja. Usava um óculos escuro descansando na cabeça e levemente maquiada. Nos simpatizamos logo de cara! Ela entrou e sentou no banco de trás. Durante o percurso conversamos sobre assuntos aleatórios, o Lu participava algumas vezes, mas estava mais focado nas instruções do GPS. Fomos em um motel muito bonito. Eu não ia comentar nada, mas quando a A. viu a fachada do local, soltou um: “nossa”. Realmente o Lu possuía bom gosto! 😉 Aliás ele teve o cuidado de preparar tudo, até playlist ele tinha feito, e levou caxinhas de som que conectou em seu celular, muito caprichoso. Quando entramos o quarto também era lindo demais, tinha uma antessala, um breve corredor, depois o quarto com uma cama redonda, espelho no teto e nas três paredes em volta da cama. Subindo alguns degraus ainda no quarto tínhamos acesso a banheira e chuveiro que para quem estivesse no quarto tinha total visão da pessoa tomando banho, pois era separado apenas por uma parede de vidro, e um pouco mais a frente uma pia e banheiro privativo. Quando vi aquele chuveiro “aberto” para quem quisesse ver, me bateu uma certa vergonha de tomar banho na frente da A., de ficar nua na sua frente sem mais nem menos, que besteira né? Rs. Mas acho que ela pensou o mesmo, pois a ouvi comentar: “mas como vou tomar banho assim?” Rsrs. Coisas de mulher. Como ela é muito linda, e bem menininha, já senti que iria gostar de ficar com ela, mas não sabia como começar e diversas vezes riamos uma com a outra, já que ambas estavam sem jeito rs. Antes de tudo o Lu nos deu um grande ovo de páscoa para cada uma da Cacau Show, e enquanto colocava a música, também colocou o vinho que tinha trazido para gelar, após solicitar uma balde de gelo e mais um conjunto de banho pelo telefone. O Lu sugeriu de começarmos pelas fotos, o que achei ótimo para irmos perdendo a vergonha uma com a outra. A. começou a se despir antes de mim e seu corpo era mesmo uma delicinha (bem magrinha como eu). Enquanto eu estava com uma lingerie mais “putona” ela estava com uma mais “adolescente” gostei do constraste, e acho que o Lu também gostou.

Nas fotos mais ousadas, demos muitas risadas, pois a vergonha era palpável, é difícil ter uma rápida intimidade com alguém que acaba de conhecer rs, tanto que começamos com as fotos mais de “amigas” e as mais ousadas foram saindo conforme fomos nos empolgando. Após a sessão de fotos, o Lu foi tomar banho, nos deixando conversando no quarto (mas obviamente o viamos tomando banho rs). A. me perguntou se eu já havia ficado com outra mulher, após respondê-la lhe devolvi a pergunta. Ela era mais recatada, só tinha beijado de língua uma amiga, enquanto eu já fiz sexo a três com uma amiga e seu namorado. Hehe, então por ser a mais experiente ali, fiz o possível para deixá-la mais a vontade.

Quando o Lu terminou, perguntei a A. se iríamos também, afinal estávamos com vergonha daquele chuveiro a vista rs. Ela não soube me responder, então fui me encaminhando logo, dando o primeiro passo para pararmos com aquela vergonha toda rs. Ela foi logo depois de mim e quando terminei já fui me encaminhando para a cama, onde se encontrava o Lu ansioso (acredito eu) para começarmos. Mas não começamos nada sem ela rs. Assim que ela voltou brindamos e bebemos o vinho que ele teve o cuidado de já deixar pronto a nossa espera. E então chegou o momento! Rs. Comecei a beijar o Lu enquanto ela finalizava sua taça. Assim que virei para ela, pedi que não risse quando eu fosse fazer algo, senão eu ficaria sem graça, ela riu só com esse comentário rs. Nesse momento ainda estávamos sentados na beirada da cama, todos subimos para a sua extremidade e resolvi começar com a A. Pedi que relaxasse e que ficasse calma. Perguntei se ela queria beijar o Lu primeiro (que estava colado ao nosso lado) e ela com jeitinho disse que não, que eu podia começar, senti uma ligeira satisfação pois demonstrava que apesar da timidez ela também estava afim, brinquei com o Lu que ela preferia a mim 😛 só para descontrair, rs. Comecei a beijar brevemente seu pescoço e então fui para seus lábios!!

Seu beijo tinha gosto de danone! Sendo bem doce e gostoso! O que só realçava seu jeito de menina, fiquei até surpresa pois ela tinha acabado de beber vinho. Nos beijamos por bastante tempo e só parei de beijá-la pois o Lu começou a beijar meu rosto, provavelmente querendo atenção também rs. Sendo assim me afastei e deixei que se beijassem. Voltei a beijar a A. novamente depois, e então falei para nós duas chuparmos o pau do Lu. Como não dava certo as duas embaixo (talvez funcionasse melhor se ele estivesse de pé) conclui que seria melhor apenas uma chupar enquanto a outra o beijasse, ele então a puxou para os beijos. O chupei por um tempo enquanto isso, e só ficava de olho nos dois se amassando “lá em cima” rs. Parei de chupá-lo e subi para a festinha também! 😛 Já engatei novamente um beijo com a A. e enquanto isso fiquei mexendo no pau do Lu com a mão, até que a A. revezou comigo e desceu para chupá-lo. Enquanto ela o chupava, dei a ideia de ficarem de lado, para que assim eu pudesse chupar sua bocetinha também! Hehe. A. ficou atônita sem entender como aquilo daria certo, mas Lu entendeu e já foi virando o corpo de lado, onde eu pude enfiar minha cabeça no meio das pernas dela! 😛 Não consegui chupá-la muito bem já que afinal ela não estava com as pernas muito abertas, mas mesmo assim ela gemeu com meus esforços rs. Caprichei o máximo que pude, pois não sou experiente em chupar xana mas infelizmente não consegui fazê-la gozar. 🙁  Após um tempo assim, ela parou de chupá-lo e veio me beijar comigo deitada, estava uma delícia sentir seus beijos, ela também beijou meu pescoço e desceu para meus seios, enquanto ela me chupava ali, o Lu me surpreendeu e começou a me chupar lá embaixo! Eu estava sendo beijada pelos dois ao mesmo tempo, não tinha sensação melhor!!! Sentir a língua experiente do Lu e os beijos carinhosos da A. estava tão gostoso que não sei como não gozei!! Após essa sessão de atenção a mim, sugeri que o Luciano fizesse o mesmo com a A. pois tinha sido muito gostoso, e enquanto ele a chupava eu fiz o mesmo que ela fez em mim, chupei seus seios e a beijei bastante. A. tem uma grande facilidade para gozar, e gozou enquanto o Lu a chupava. Continuei a beijá-la enquanto o Lu voltou suas atenções a mim! Nham nham! Como eu estava com a bunda empinada, beijando ela, (já que estava de joelhos na cama) o Lu começou a posicionar seu pau na minha xana, isso me deu o maior tesão! Comecei a rebolar para ele, e quando vi ele já tinha colocado a camisinha e entrou dentro de mim comigo naquela posição. Ai que delícia!! Aí não tive como beijar a A. direito, pois além do vai e vem, comecei a gemer…

Após um tempo me comendo assim, ele trocou a camisinha (não havia gozado) e foi comer a A. Ele foi por cima enquanto eu continuava a  beijá-la. Deu umas boas estocadas assim, até que a A. foi por cima, cavalgando nele. Enquanto isso ele pediu que eu sentasse em seu rosto, o fiz e ele me chupou gostoso! 😛 Enquanto isso, A. gemia alto na sua cavalgada, um gemido bem sexy devo acrescentar! 😉 Após ela gozar mais uma vez (dessa vez na penetração) foi a minha vez de ir por cima, trocamos a camisinha. O Lu pediu que ela fizesse o mesmo que pediu a mim quando ela estava cavalgando, e ela sentou em seu rosto também, agora que eu cavalgava. Após um tempo a chupando daquela forma, ela voltou a beijá-lo e depois voltou suas atenções para mim, ficou me beijando nas costas e no pescoço enquanto eu cavalgava. Adorei suas carícias. Quando ela se voltou para o Lu, eu itensifiquei nas estocadas pois queria muito que ele gozasse também, mas ele era duro na queda! Rs. A. vendo que eu estava cansada e tinha até suado, se ofereceu para ir por cima novamente. Parecia que eu estava pedindo arrego mas não tinha outro jeito, minhas pernas já estavam doendo rs. Trocaram rapidamente a camisinha e logo ela entrava em ação, cavalgando nele! Nesse momento enquanto eu descansava, me posicionei ao lado deles e comecei a me masturbar, senti um grande tesão assistindo aquela cena pornográfica ao vivo e ouvindo os gemidos da A. Após um tempo gozei gostoso. Depois disso me posicionei atrás dela e fiquei fazendo o mesmo que fez comigo. Beijei seu pescoço, mas devido ao vai e vem era difícil manter essa carícia, fiquei pegando em seus seios acompanhando seu ritmo com meu corpo colado ao seu. Pensei determinada comigo: “agora o Lu goza!” Enquanto segurava os seios da A. fiz a maior cara de safada para ele, do tipo: “olha, eu estou pegando nos seios dela e você não” e realmente acertei na ideia, pois logo ele gozou! Uhuu!! Rs. Até a A. comentou dizendo: “achei que hoje você não ía” e os dois caíram na risada rs. Ele aguentou pelo tempo certo, no meu ponto de vista, pois se gozasse muito rápido, perderia a graça. Depois disso fomos os três para a banheira, que já estava cheia desde o momento em que havíamos tomado banho. A água ainda permanecia quente.

Eu e a A. entramos primeiro e o Lu entrou depois, onde primeiro nos serviu vinho novamente e pegou as trufas que tinha comprado para comermos na banheira. Ele trouxe três tipos de sabores e era incrível como até nos sabores eu e a A. tínhamos gostos parecidos. Ficamos o restante do programa ali na banheira (tínhamos fechado 2:30) conversando, cantando (cantamos em coro a música do Extreme “More Than Words”) que estava tocando na playlist. As vezes somente eu e a A. conversávamos (sobre meus relatos), ou somente eles dois conversavam (sobre Dorama), e os três juntos quando  falávamos das festinhas do fórum Cutuca que ocorrem em Interlagos. Tudo estava muito agradável. Após acho que meia hora ou um pouco mais, meu celular despertou. Mas nem me apressei em ir embora, estava muito relaxante aquela água morna e o papo que estávamos tendo. Passaram-se mais dez minutos e dessa vez foi o celular do Lu que começou a despertar! Rs. Já eram 18:10. Visivelmente ninguém estava animado para ir embora, mas eu tinha faculdade, então nesse segundo alarme fomos aos poucos nos ajeitando para irmos embora. 🙁 O Lu me deixou na rodoviária Tietê e depois seguiu com a A. pois a deixaria em casa.

Simplesmente A-DO-REI! Como já li em alguns relatos da A. no Gpguia, realmente ela parece uma bonequinha, dá vontade de agradá-la o tempo todo! Sinto dizê-los que ela excluio seu facebook e seu site pessoal. Não está mais atendendo. :'(